Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 773 / 2014

04/06/2014 - 11:03:00

Casal diz que índices de saneamento em Alagoas começam a ser ampliados

Em Maceió, cobertura de esgoto, que é de 36%, deverá passar para 80% até 2018

DA REDAÇÃO

O esgotamento sanitário de Maceió, que em 2007 atendia 27% da população, chega a 2014 com uma cobertura de 36%. No interior do Estado, o índice, que era de 0,6%, passou para 6,8% nesse mesmo período. “Este avanço, embora ainda não seja o ideal, demonstra que houve melhoria no panorama do saneamento em Alagoas”, afirmou o presidente da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) , Álvaro Menezes.

Segundo ele, de fato os indicadores do setor de saneamento ainda são baixos, mas o Estado de Alagoas, com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) aplicados pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra) e com soluções inovadoras de contratação pela Casal, tem um plano concreto de investimentos para ampliação da cobertura do esgotamento sanitário.

“Já há, com certeza, contratos e licitações em andamento, tanto pela Casal quanto pela Seinfra, para fazer com que até 2018 se alcance o índice de 80% de cobertura em Maceió”, enfatizou Menezes. No interior do Estado, de acordo com ele, com as obras que serão realizadas com recursos da Codevasf, a cobertura de esgotamento sanitário deverá beneficiar aproximadamente 15% da população até 2018.


INVESTIMENTOS

A Seinfra deverá investir, com recursos do PAC, cerca de R$ 200 milhões na cidade de Maceió e, da Casal, R$ 500 milhões, destacando-se que os investimentos da companhia serão realizados por meio de locação de ativos e parceria público-privada (PPP). Desta forma - complementa Menezes -, os baixos índices de hoje têm um horizonte definido para sua substituição, de modo que tanto no interior quanto na capital se possa garantir mais qualidade de vida, desenvolvimento econômico e proteção do meio ambiente.

Com recursos da Codevasf, a Seinfra já garantiu que investirá nas cidades de Delmiro Gouveia, Piaçabuçu, Traipu e São Brás aproximadamente R$ 100 milhões, recursos estes já contratados. Além disso - acrescenta Menezes -, a Casal vem trabalhando na recuperação de sistemas, investindo com recursos próprios, para acabar com as línguas negras nas praias da cidade de Maceió.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia