Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 773 / 2014

04/06/2014 - 10:57:00

Lula declara apoio a Renan Filho para governador de Alagoas

Ex-presidente desaprova a pré-candidatura de Biu de Lira, que vai tocar Dilma por Eduardo Campos

João Mousinho [email protected]

Como já era de se esperar, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o palanque da presidente Dilma Rousseff em Alagoas será o da Frente de Oposição, encabeçada pelo candidato ao governo de Alagoas Renan Filho (PMDB).  Lula fez questão de afirmar que tem compromisso com Renan Filho e que não irá dividir palanque no Estado. Lula deu essas declarações essa semana durante encontro no Hotel Gran Mercury ao lado dos senadores Eduardo Braga (AM), Renan Calheiros (AL) e Eunicio Oliveira (CE), todos do PMDB e da base de sustentação da presidente Dilma.

Lula ainda revelou que estará no primeiro comício da Frente de Oposição e que dará todo o apoio possível para a campanha de Renan e seus aliados.A aproximação de Lula com o palanque do governo do Estado reforça a ideia de que o Partido dos Trabalhadores pode indicar o vice-governador na chapa encabeçada por Renan Filho.

Nomes petistas como de Rosiana Beltrão, ex-prefeita de Feliz Deserto, e Judson Cabral, deputado estadual, ambos do PT, são ventilados para compor a chapa apoiada pelo ex-presidente em Alagoas. Sobre a divisão do palanque em Alagoas, Lula se mostrou decepcionado, pois não considerava que Benedito de Lira (PP), que também é da base aliada do governo Dilma, colocaria seu nome na disputa. Além disso, Benedito firmou aliança com o presidenciável Eduardo Campos (PSB). Na última segunda, Benedito garantiu seu compromisso em alicerçar o palanque de Eduardo Campos.

Ao lado da presidente estadual do PSB, a ex-prefeita de Maceió Kátia Born, o candidato ao governo disse que o partido de Eduardo será de importância fundamental para o êxito de sua campanha. Na ocasião, o senador deixou claro que desde 1989 vota com o Partido dos Trabalhadores e em Lula, mas que nunca o PT votou nele quando assumiu suas candidaturas. Um dos exemplos citados por Benedito foi sua disputa ao Senado com Renan Calheiros e Heloísa Helena (PSOL) há quatro anos. 


Outros palanques declarados

 A pedido do pré-candidato a presidente Aécio Neves (PSDB), o governador Teotonio Vilela (PSDB) teve que montar uma chapa de situação encabeçada por um tucano; uma imposição nacional. Durante o anúncio de Eduardo Tavares ao governo de Alagoas, Vilela foi taxativo: “O nome do grupo era do prefeito Rui Palmeira, mas ele teve que permanecer com sua missão no executivo municipal”.

A esquerda mais uma vez traz com o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) um nome para disputar a Presidência da República. Quem vai para o páreo dessa vez é o senador Randolfe Rodrigues (AP).

Em recente entrevista ao Diário do Grande ABC, o pré-candidato revelou: “Heloísa Helena está conosco, não tenho dúvida. Eu e Luciana (Genro) vamos visitá-la em Maceió, para que ela participe mais da nossa campanha. Ela será candidata a senadora e tenho certeza que estará no Senado ano que vem”.  

O senador do Amapá ainda acrescentou: “Heloísa fez um movimento que convencionava a ela (aproximação da Rede), mas tem todo crédito do mundo conosco”.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia