Acompanhe nas redes sociais:

18 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 773 / 2014

04/06/2014 - 10:17:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Controlando o consumo

É real o aumento de preços que vem ocorrendo nos últimos meses. E não tem nada a ver com a Copa do Mundo ou eleições. É simplesmente o momento econômico, com problemas climáticos, dólar em alta e juros subindo mensalmente. Mas o importante mesmo é o consumidor se conscientizar de que deve mais do que nunca, controlar seus impulsos e só comprar mesmo o estritamente necessário e antes pesquisando em vários locais. O Globo Repórter da semana passada, mostrou os vários exemplos de consumidores organizados, que mudam de marca, compram em conjunto (no atacado), com preços mais baixos e pesquisam muito. Também reduzem a quantidade, priorizando o valor nutritivo de cada produto. Sabendo se organizar, pode viver com tranquilidade e de acordo com o que ganha. 


Pechinchando

Uma boa maneira de conseguir comprar por um preço inferior ao praticado em supermercado é numa feira livre. Lá, pode pechinchar com o vendedor, que não paga imposto diretamente na fonte e geralmente é o próprio produtor. Um quilo de tomate, por exemplo, facilmente é encontrado até pela metade ou mais do preço do concorrente maior. Mas tudo tem que ser com dinheiro em espécie. Nada de cartão de crédito ou cheque. 


Desconforto

É óbvio que quem frequenta uma feira livre, com o  calor sufocante, os gritos dos vendedores, a música alta, tem que ser extremamente paciente e pensando exclusivamente em economizar, ter tempo suficiente para pesquisar em todas as bancas, conversar com os vendedores, pedir descontos e só comprar quanto realmente tiver certeza de que fez economia. Mais: Prestar atenção a qualidade do produto e até mesmo experimentar. Onde comprarQuem só se alimenta mesmo de produtos naturais, sem agrotóxicos, deve frequentar a Feira Ecológica promovida por pequenos agricultores (os próprios que vendem) e com fiscalização dos órgãos públicos, funcionando ao lado do Mercado de Jaraguá, a cada sexta-feira, a partir das 6 horas e até às 13 horas. Tudo vem diretamente de sítios no Agreste, Zona da Mata e Litoral Norte. Vez por outra, funciona a Feira Camponesa, dos assentados da Reforma Agrária.

 
Dia a Dia

Mas diariamente funcionam as feiras livres da Levada (a maior), Jatiúca, Jacintinho, Tabuleiro, Bebedouro e em outros bairros, nos fins de semana. É a oportunidade para quem mora próximo, economizar comprando nesses locais, não apenas hortifrutigranjeiros, mas outros produtos comercializados e com preços acessíveis. 


Em casa

Quem mora em casa, com espaço suficiente para plantar, deve fazer uma horta, adquirindo sementes de verduras e legumes, utilizar adubo orgânico e saber cuidar, colher e consumir produtos com alto teor nutritivo e saudável. A economia é substancial e a custo quase zero, já que o que gastou foi apenas com a semente e o adubo. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia