Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 771 / 2014

20/05/2014 - 18:47:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

De olho nos preços

O custo de vida vem aumentando a olhos vistos. Basta ir a um supermercado, mercadi-nho, mercearia, restaurante, bar e demais estabelecimento comerciais, além dos prestadores de serviços. Isso é inflação, que continua sendo controlada “a mão de ferro”, com a política de juros altos, mas não impede que cresça. Óbvio que nunca como nas décadas de 1980/90, quando chegou a 84% ao mês. Mas crescendo, o que exi-ge do consumidor atenção especial na pesquisa de preços. Nunca se deve comprar na primeira parada. Mesmo sendo promoção. A economia é altamente competitiva, fazendo com que os preços variem muito de um ponto de venda para outro, muitas vezes até mesmo do mesmo grupo empresarial. Assim, pesquisar é a palavra de ordem agora e sempre. É a Lei da Oferta e da Procura de uma economia capitalista,  com um único objetivo: o lucro. Vende mais aquele que tem um preço mais baixo, mas com a obrigação de oferecer um produto de qualidade. 


Sem pressa

Ao se dirigir a um supermercado, leve uma lista de compras, com a convicção de que não vai comprar por impulso, apenas o que estiver anotado. Não vá com pressa. Visite todas as prateleiras, checando preços, marcas, validade, teor nutritivo. Muitas vezes tem produto por trás dos expostos, com preço menor. Atente para tudo, inclusive na hora de pagar, de olho no visor do caixa. 


Disciplina

O casal, depois de fazer a lista de compras e com tempo de ir ao supermercado, deve ser mesmo o mais disciplinado. Nunca deve se levar crianças para esse local. Elas geralmente tendem a querer o que não se encontra na lista e se você retirar o carrinho, pode ter escândalo, com choros e constrangimento. 


Peso

Os produtos que são pesados, o devem ser em balança em local fixo e partindo pontualmente do zero. Atente para isso e, em casa, faça o teste com a sua balança para comprovar se realmente é igual ao peso do local onde você comprou. Numa feira livre, mais atenção para esse fato. Qualquer detalhe pode prejudicar o consumidor. Os “avarentos” fazem de tudo para lucrar. 


Cartão

Jamais compre alimentos com cartão de crédito parcelado. Isso é economicamente incorreto e demonstra ser um tipo de consumidor indisciplinado, que não tem orçamento doméstico e gasta aleatoriamente, sem se preocupar com juros, taxas e multas. Compre, sim, com o cartão de débito ou dinheiro em espécie. 


Estoque

Também não é necessário fazer estoque de mercadorias, pensando num aumento descontrolado de preços. Isso não vem acontecendo desde 1994, quando foi implantado o Plano Real. A inflação é controlada. Os preços sobem na mesma velocidade que descem. Nessa gangorra, basta apenas pesquisar e só comprar o estritamente necessário para o consumo do mês. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia