Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 770 / 2014

14/05/2014 - 11:59:00

Frente de Oposição expulsa bancada da pistolagem da coligação

Partidos de Antônio Albuquerque, João Beltrão, Cícero Ferro e Chico Tenório ficam de fora do apoio majoritário a Renan Filho

João Mousinho [email protected]

Os partidos PRTB e PMN ficaram de fora da coligação majoritária que vai alicerçar a candidatura do deputado Renan Filho (PMDB) ao Palácio República dos Palmares. O senador Renan Calheiros se limitou a dizer que “por motivos que todos já conhecem o PRTB e o PMN não farão parte da Frente de Oposição”.

 O presidente do Congresso não detalhou de forma específica a motivação da “expulsão” das siglas.Um dos principais caciques do PRTB e que tinha como missão a articulação política do partido é o deputado estadual Antônio Albuquerque, que pode tentar uma vaga na Câmara Federal. Outro nome do PRTB que fazia coro com AA para se juntar à Frente de Oposição e esteve no último encontro do grupo em Penedo é o também deputado estadual João Beltrão, que tenta mais uma reeleição.

 Já o PMN tem como principal nome do partido o deputado federal Francisco Tenório, que assim como João Beltrão esteve em Penedo e fez parte da composição da mesa da Frente. Na oportunidade, Chico apontou para Renan (pai) e Renan (filho) e sentenciou: “Desses dois grandes nomes da política alagoana sairá o futuro governador de Alagoas”. Tenório, como é de notório conhecimento, não irá disputar a reeleição. O deputado federal vai tentar este ano uma vaga na Casa de Tavares Bastos; onde em outras oportunidades exerceu mandato.

 A situação dos três deputados é semelhante: possuem uma densidade eleitoral considerável, mas carregam em seus currículos diversas acusações, entre elas as de formação de quadrilha, crime de mando e improbidade administrativa.Os personagens também são protagonistas de um dos maiores esquemas de corrupção da Assembleia Legislativa: Operação Taturana. Segundo o inquérito da Polícia Federal, mais de R$ 300 milhões foram desviados dos cofres públicos.

 Outro pré-candidato a deputado estadual pelo PRTB é o ex-deputado Cícero Ferro, hoje sem mandato e que também é acusado de formação de quadrilha, crime de mando e improbidade administrativa. Em 2009, Ferro chegou a ser preso acusado de participação no assassinato do vereador Fernando Aldo.

 A forte rejeição poderia “pesar” no palanque de Renan Filho, que poderia ser alvo dos adversários devido às mácula dos até então apoiadores de sua candidatura. Tanto os presidentes em Alagoas do PRTB, Cícero Almeida, e do PMN, Cícero Ferro, não se manifestaram de forma oficial sobre a decisão da Frente de Oposição. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia