Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 770 / 2014

14/05/2014 - 10:10:00

O voto nulo

JORGE MORAIS jornalista

Pregar o voto em branco é burrice. Com essa atitude, o eleitor está beneficiando a quem já está no poder, porque já tem um grupo de eleitores cativos; mais poder de barganha nas mãos; já é articulado politicamente; aparece mais na mídia; e, claro, vai tirar proveito de tudo isso para garantir uma reeleição.

Agora, você sabia que o voto nulo tem outra característica, e o quadro muda consideravelmente a realidade de uma eleição? Por isso, está sendo feita uma campanha pelas redes sociais que pode interferir no processo, pelo menos, para conscientizar uma boa parcela do eleitor, mas acho que em nada vai mudar o resultado das próximas eleições, nem das outras e outras mais que vierem, pelo menos aqui no Brasil.Quero logo adiantar que não estou aqui defendendo o voto nulo, até porque vou exercer o direito de escolha dos meus candidatos, no dia 5 de outubro.

Mas, como curiosidade, o texto que circula pela internet é bastante interessante e faz um contra- ponto ao que é divulgado na mídia pela justiça eleitoral, que promove insistentemente pelo rádio e a televisão, campanhas em torno do voto válido, do comparecimento do eleitor às urnas, gastando uma fortuna com isso.

O texto começa assim: Você sabe como eliminar 90% dos políticos corruptos em uma única vez? Isso mesmo, em uma única vez. Para criar sensação para o texto, prossegue. Preste muita atenção: Você sabe para que serve o voto nulo? Acredita-se que menos de 1% da população saiba algo sobre isso.

Então, vamos a um exemplo:Imagine uma eleição qualquer, em que os candidatos sejam Lula, Paulo Maluf, José Dirceu, José Genoino, Marcos Valério, Delúbio Soares, Roberto Jefferson, Jaques Wagner, Joaquim Roriz, entre outros. Campanha vai e campanha vem, você se acha na obrigação de escolher uma dessas figuras, o tal do “menos ruim”, e com isso, acaba afundado ainda mais o país. Mas, aí você diz: “Nesse caso, não temos saída”.

O que você não sabe é que, se numa eleição houver maioria de votos nulos, é obrigatório haver nova eleição com candidatos diferentes daqueles que participaram da eleição anterior, que ficariam quatro anos impedidos de se candidatarem. Agora você entendeu por que isso nunca foi feito, nem houve interesse em ser divulgado? Se você duvida, ligue para o Superior Tribunal Eleitoral ou ligue para a OAB e faça uma consulta sobre o assunto.

Continua o texto: Segundo a legislação brasileira, se a eleição tiver 51% de votos nulos, o pleito é anulado e novas eleições têm que ser convocadas imediatamente, sem os nomes dos candidatos anteriores, e com mais gastos para a Nação com os novos procedimentos. Segundo eles, é por isso que não se prega a campanha do voto nulo no Brasil ou qualquer outra país, o que daria um grande susto nessa gente.Agora, minha opinião. Com certeza, tem muito político com raiva desse artigo.

Tem muita autoridade que paga para esse assunto não ser ventilado. E a própria justiça eleitoral quer distância desse tema, foge como o diabo foge da cruz. Mas, para certos tipos de candidatos, o voto nulo ainda é pouco como castigo.

O grande problema é que o eleitor brasileiro ainda não tem esse comprometimento, e usa o voto como uma moeda de troca.No dia em que o eleitor brasileiro entender e votar pela sua consciência e cobrar dos políticos e dos governos os seus compromissos de campanha, esse poderá ser um Brasil diferente.

Enquanto os pobres eleitores entenderem que não é com cesta básica e programas assistencialistas baratos que vão melhorar de vida, ai sim, poderemos pensar num Brasil próspero. Sem bagunça, acho que os primeiros passos estão sendo dados, mas muito pouco diante da nossa realidade.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia