Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 770 / 2014

14/05/2014 - 09:35:00

Novo tempo

Da Redação

A decisão do Chapão de expurgar quatro políticos ligados ao crime organizado - atualmente abrigados no PRTB e no PMN - foi recebida com entusiasmo pelo povo ordeiro de Alagoas. A medida decorre menos de uma ação de consciência política das oposições e mais por exigência da sociedade alagoana que não aguenta mais conviver com a lei do trabuco e o crime organizado. 

O recado chegou aos líderes do Chapão através de pesquisas qualitativas encomendadas pela Frente de Oposição, em todo o Estado. As consultas revelaram preocupação com a incoerência de uma candidatura majoritária baseada no novo como bandeira de campanha, mas aliada ao que há de pior na velha política dos currais eleitorais e do voto de cabresto.

 Romper com esses grilhões remanescentes do regime escravocrata é exigido de quem se apresenta com novas ideias para mudar os rumos de Alagoas. E mais ainda quando se trata da oposição, já um tanto desgastada por promessas não cumpridas e pela retórica do discurso. 

Atentos ao recado das ruas, os líderes do Chapão decidiram expulsar os ex-aliados comprometidos com a pistolagem e o crime organizado por questão de sobrevivência política. Ainda assim merecem os aplausos da sociedade, ávida por um novo tempo, de paz e de prosperidade para todos. Não para meia dúzia de privilegiados. 

Mesmo que tardia, a depuração das oposições deve servir de exemplo para os demais partidos interessados em mudar Alagoas, estado rico com dois milhões de pobres, centenas de miseráveis e uma dúzia de milionários.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia