Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 769 / 2014

07/05/2014 - 17:44:00

S.O.S Alagoas

Cunha Pinto

Na boca do eleitor

Teotonio Vilela aos poucos fortalece a proposta tucana de continuidade para outubro e como dica mais recente disse que “Trabalho para sairmos com uma frente única.” O eleitor suspeita que ele quer unir mais partidos pró Aécio Neves. Falam também que com o tucano no Planalto, Téo pode ser ministro.

No silêncio

Tramita silenciosa conversa sobre falta de firmeza de políticos para tomada de posição no apoio a antigos parceiros de partidos nas campanhas. Questões  ligadas principalmente às proporcionais e motivação nos acertos anteriores mas até hoje sem estarem cumpridos.


Voz solitária?

Heloisa Helena levanta uma questão: além dela, com mandato de vereadora em Maceió, quem do PSOL tem mandato legis-lativo ou executivo em Alagoas? Curiosidade foi conversada na Câmara Municipal de Maceió, com observação estendida a que outros nomes o partido tem no Estado para puxar voto?

     
Otimismo

Filiados ao PSB demonstram confiança numa votação excelente de Eduardo Campos em Alagoas e no Nordeste. O otimismo se apega na presença também de Marina Silva como vice dele. Eles formam chapa socialista “puro sangue.”

      
Flor da pele

Eduardo Tavares, candidato do PSDB já declarado ao Governo de Alagoas, não motiva comentário do povo e de deputados na Assembleia. É comum acharem cedo para uma análise. Mas começa a ser visto como opção nova e por isso já transmite otimismo no front dos tucanos.

  
Da esquerda

Neste mês, maio, os partidos começam a definir candidatos e coligações, de modo a que tenham tranquilidade para organizarem as convenções, a maioria agendada para junho. São decisões com prazos definidos pela legislação eleitoral. Além do mais precisam de prazo para providenciar documentação.   

Tem jeito?

Começa época do “se adversário não tem defeito se coloca”. Alguns dos jogados ao ar são: Renan Filho, com 34 anos, é imaturo para governar Alagoas;  Eduardo Tavares não tem vivência política e em Benedito de Lira apontam a idade como problema.Pode?   

Otimismo

“Que previsão otimista o cidadão faz para sobreviver em 2015 com salário mínimo de R$ 779,79, conforme proposta já divulgada pelo Planalto?”  A pergunta foi de de sindicalistas, sustentada nos custos da educação, transporte, alimentação e os impostos cobrados pelo próprio governo.  


Nonô fica como?

Nos Martírios conversa recente sinalizou discórdias no staff administrativo do Estado.  Teve a ver com uma informação sobre discórdia entre Teotonio Vilela e Thomaz Nonô.  Da Coluna - e a informação tendo base, uma pergunta: “Por qual motivo?


Ouvidos  de...

No Congresso Nacional – extensivo ao Planalto – o silêncio à revisão do Código Penal carrega agora suspeita de ser proposital.  Um cala-te boca que deixa motivos para acreditar haver apoio silencioso dos políticos a atos criminosos que ocorrem com insistência diária nas ruas das cidades Brasil afora.  

Sem boné

Os bancos no Rio de Janeiro começaram a adotar como medida preventiva na área da segurança a proibição de pessoas, sejam clientes ou não, de terem acesso às agências usando boné ou outra indumentária que dificulte a identificação. É ideia válida para outros Estados, inclusive Alagoas. Principalmente no interior.  

Quem aposta?

No eleitor é comum nesta época de pré-eleições cidadãos soltarem o brado de indignação pelas ocorrências nos casarões políticos e declararem o voto em branco  Mas com o “quem te viu quem te vê” do passado a queixa não perde credibilidade? 


Ordem na praça

A Praça dos Palmares é ocupada pelos ambulantes com aprovação do maceioense que transita e faz compras no local. Mas a falta de fiscalização estimula anarquia. Agora motoristas estacionam aonde querem incomodando comerciantes, pedestre e outros motoristas, obstruindo o tráfego de veículos. Dos ônibus principalmente.


Outro conselho

De Lula para a a presidente Dilma Rousseff: “Já ela que não pode ser ser chefe da Casa Civil,  mas presidente da República, tem de delegar. Tem de ser mais líder e menos general”.  Nota foi divulgada na Revista Veja, edição 2366, de 26 de março. Enquanto ele, insistente, não recupera ponto nas pesquisas.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia