Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 768 / 2014

29/04/2014 - 11:26:00

Calote de Lessa em jornalistas já se aproxima de R$ 12 milhões

Ex- governador sempre nega a dívida, mas seu irmão Geraldo Lessa era o administrador do extinto Jornal Tribuna de Alagoas

Carlos Victor Costa [email protected]

O termo certo e bastante usado é “devo não nego, pago quando puder, mas para o ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT), o lema é outro “devo, mas nego, e não estou nem aí”. Isso por que em 2007 Lessa foi acionado inúmeras vezes na Justiça do Trabalho para pagar dívidas e direitos trabalhistas de diversos funcionários do extinto jornal Tribuna de Alagoas, entre eles, jornalistas, gráficos, e pessoas do setor burocrático.

O débito atualmente está perto de atingir os R$ 12 milhões. Entra ano e sai ano, e nada é pago.Em uma última entrevista ao Jornal Extra, Lessa negou a dívida.

“Nunca fui dono da Tribuna, essa acusação contra mim é mais uma perseguição. Nunca existiu isso e suponho que seja uma jogada do sindicato dos jornalistas, pois sempre que eu iria sair como candidato surgia esse problema. Só sei de uma coisa, estou pagando um preço caro, pois fui condenado por uma coisa que não devo, e outra, eu tinha que ter dinheiro para depositar e quitar essa dívida, como não tinha, nem pude recorrer da ação”.

INJUSTIÇA TRABALHISTA

A reportagem do Jornal Extra conversou com o presidente da Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos de Alagoas (Jorgraf), que edita a Tribuna Independente, jornalista Antônio Pereira, uma das vítimas do calote do ex-governador. Ele explicou que nada é feito pela justiça trabalhista. “Infelizmente é uma situação crônica, estamos nisso há quase  anos.

Na verdade é uma injustiça trabalhista, pois muitas pessoas que eram do jornal ainda sofrem atualmente. Muitos largaram até o jornalismo, para tentar ganhar a vida de outra forma”. O jornalista disse também que Lessa não pode negar a dívida, pois seu irmão Geraldo Lessa era o administrador do jornal, colocado lá, segundo Antonio Pereira, como laranja da empresa.

“O irmão dele era quem mandava. E me lembro muito bem, que o próprio Ronaldo esteve em uma reunião e se mostrou como dono do jornal. Temos até imagens dessa reunião que comprovam que ele estava lá. Ele deveria ter decência. Fomos enganados por verdadeiros vigaristas que montam empresas fantasmas e lesam pais de famílias”, disse. 

OUTRAS AÇÕES CONTRA LESSA 

O ex-governador já foi condenado a um ano e quatro meses por ter chamado de “ladrão” o então presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Orlando Manso.

Em 2001, Lessa insultou Manso em entrevista a um jornal de Pernambuco porque o desembargador havia bloqueado as contas do Estado para pagar salários a integrantes da magistratura. Na época, ele era governador de Alagoas. Além disso, Lessa também foi acusado ano passado pelo Ministério Público Federal (MPF) pelo desvio de R$ 5 milhões, que seriam investidos no Hospital Geral do Estado (HGE).

Diante da denúncia feita pelo MPF, o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) entrou com uma representação contra o procurador da república, responsável pela ação, Anselmo Henrique Cordeiro Lopes.


ELEIÇÕES 2014
Segundo informações dos bastidores da política, Ronaldo Lessa estaria com pretensão de concorrer a uma vaga para Câmara Federal. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia