Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 768 / 2014

29/04/2014 - 09:24:00

Uma Copa sem escândalos e sem quadrilhas!

José Arnaldo Lisboa Martins [email protected]

Vocês me perdoem por eu falar sobre mim mesmo, pois, estou aproveitando o tema “futebol”, para dizer que já joguei com amigos que, como eu, gostavam das “peladinhas”, acontecidas, nas ruas, nas praças, nos recreios, nas praias e, até, em campo gramado. Como vocês sabem, são poucas as pessoas do sexo masculino que ainda não jogaram futebol, como crianças, ou ora como jovens e adultos. Eu mesmo, como esquerdo que sou, por escrever com a mão esquerda e chutar com o pé esquerdo, já joguei no juvenil do “Deodoro”, composto de moradores em torno da Praça Deodoro.

Fui levado pelo meu amigo e Colega de Pensão, o Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, Desembargador Fernando “Tourinho”, recentemente falecido. Num jogo em Recife, contra o Banco do Brasil, fui escalado pelo Técnico Dudu, tendo como Goleiro, o Dr. Pelópidas Argolo e, na defesa, o próprio Dr. Fernando “Tourinho” e o Dr. João Boleado. Passei alguns meses jogando, mas, como eu não era dos melhores, fui “barrado” pelo meu amigo, Dr. Vicente Montenegro e logo depois pelo “Goiabinha”, nosso amigo do Banco do Brasil.

Lembro-me do companheiro, “Ceguinho” irmão do Dida, jogador do Flamengo e da Seleção Brasileira, e, do Bá, como os melhores do time. Tempo bom ! Hoje, nossas pernas já não nos deixam correr, já não nos deixam driblar ou dar meus chutes como ponta-esquerda. Já não nos querem mais e, com razão. Quá, quá, quá........      

O Brasil perdeu uma Copa do Mundo, para o Uruguai, em pleno Maracanã, em 1950. Em 1958, fomos Campeões do Mundo, na Suécia e de lá pra cá, já se passaram 14 Copas do Mundo, e o Brasil já conseguiu 5 títulos, com nossas vitórias. Agora, estamos com a Copa do Mundo sendo disputada nos nossos estádios, durante os dois próximos meses, de junho e julho. Agora, inventaram de chamar nossos “estádios” de  “arena”, como se isso viesse nos dar sorte.

Quiseram imitar o Coliseu, onde os cristãos eram sacrificados pelos Gladiadores dos Césares, na época do Império Romano, hoje transformado, apenas, em História. Claro que eu iria vibrar com a vitória do Brasil, mas, estou com medo do que poderá acontecer, nas nossas ruas e nos nossos estádios.

O Brasil está em pé de guerra, contra traficantes, contra os ladrões do dinheiro público e com os valores gastos com as obras dos estádios, superfaturadas. Seria muito bom, se estivéssemos com menos violências e com menos escândalos, para que pudéssemos suspirar um pouco de paz, nas ruas, nas estradas e nos estádios, apelidados de “arenas”.

Tomara que os nossos jogadores não pensem, apenas, em dinheiro  e sim no nosso Brasil.  Tomara, também, que o Brasil ganhe esta Copa, para que possamos ficar felizes, pelo menos com a vitória, já que não seremos felizes, sabendo que estão acabando com o dinheiro da Merenda Escolar, dos Hospitais, das Escolas, nas nossas Rodovias e da nossa Petrobrás. Tomara que o Brasil ganhe esta Copa do Mundo, para que possamos, nestas e em outras Copas, sermos detentores de uma Copa sem Escândalos e sem Quadrilhas.

 
Em tempo- Agradeço ao amigo, José Francisco Ferreira da Costa. excelente garçom da Casa da Pizza, pelo incentivo que me dá, ao ler meus artigos. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia