Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 768 / 2014

29/04/2014 - 09:10:00

Gabriel Mousinho

Um novo palanque

Falta muito pouco para o senador Benedito de Lira fazer uma composição com o deputado federal Alexandre Toledo e levar para o PP o PSB, cujo candidato a presidente é o simpático Eduardo Campos.Benedito de Lira trabalha sem alardes, com composições de bastidores e alguns amigos confidenciam que é muito melhor Givaldo Carimbão está do lado de lá, do que do lado de cá. Porque, não dizem.Alheio ao problema, Biu sabia que Carimbão não era tão confiável assim, embora tenha deitado e rolado falação quando o senador fez uma prestação de contas do seu mandato num evento que levou mais de mil pessoas.Até o dia 5 de maio, data marcada para o lançamento da candidatura a governador naturalmente do PMDB, muito água ainda vai rolar por baixo da ponte e o grande número de partidos que dizem por aí não é uma solução prática para o bloco de oposição. Até para governar é difícil e o senador Renan Calheiros sabe muito bem como são essas coisas.Na verdade, depois do lançamento dessas candidaturas, a campanha deve começar pra valer e parece que vai valer tudo nessas eleições, embora todos os candidatos afirmem que a campanha é de compromissos, de trabalho, de respeito ao alagoano. Vamos ver.

Luta para federal

A briga por uma vaga na Câmara Federal será muito grande e tem coligação que terá dificuldades de fazer até três deputados. No PMDB, por exemplo, tem nomes que abocanharão um naco dos votos, como Luciano Barbosa e Marx Beltrão. Outros candidatos, como Cícero Almeida e Ronaldo Lessa, do PRTB e do PDT também estão bem situados no panorama político, assim como Givaldo Carimbão , PROS, que está passando para o lado de Renan Calheiros. Mas será que terá vagas para tantos candidatos?


Luta para federal 2

A coligação do PP estima que deverá eleger quatro deputados federais e possivelmente mais um na sobra e por isso trabalha para fazer uma chapa proporcionar de arrebentar, como dizem seus candidatos. Pelas contas vai faltar vaga para tanta gente.


Sozinho

Quem está numa situação difícil de se eleger deputado federal é Pedro Vilela. Com o PSDB com dificuldades de fazer alianças, é quase impossível o partido atingir um coeficiente eleitoral na proporcional para levá-lo para Brasília. A não ser que o jogo mude nos próximos dois meses.

Adversário

O senador Fernando Collor deverá ter mais um adversário na luta pela vaga no Senado, caso Alexandre Toledo faça uma composição com o PP de Benedito de Lira. Aí deveria ter a presença, em Alagoas, de Eduardo Campos. Um nome novo na campanha presidencial.


Retraído

Quem anda muito retraído nos últimos dois meses é o ex-prefeito de Maceió, Cícero Almeida. Ele tem demonstrado aos amigos que não tem tanta certeza da fidelidade de muitos que integram o Chapão. E não quer ser trampolim para nenhum candidato.


Disposição

Cícero Almeida topa até ser candidato a governador pelo PRTB, mas resta saber se Adeilson Bezerra, presidente regional do Partido e aliado de primeira hora de Renan Calheiros, vai deixar. Almeida tem mostrado insatisfação como as coisas estão andando no Chapão.


Queixa

Como tem disparado nas pesquisas de opinião para o Governo do Estado, o ex-prefeito de Maceió ficou surpreso de que, em novas pesquisas mandadas fazer por aliados, seu nome não apareceu como se fosse boicotado.  Almeida não tem, no momento, tanta certeza se fica no Chapão.


Páscoa no escuro

A Eletrobrás deu um presente de grego às pessoas que foram passar a páscoa em Barra de Santo Antônio. Todos os dias houve falta de energia. A mínima de seis horas, pelo menos. Um desrespeito ao consumidor que paga a conta de luz em dia. Parece que a privatização é o único caminho para se resolver a situação.


Nem pensar

Enquanto trata mal os alagoanos com um péssimo serviço de energia, a Eletrobras continua não dando bolas para o pagamento do Plano Bresser ganho pelos trabalhadores e que já completou bodas de prata. O Sindicato dos Urbanitários, por sua vez, não faz a força que devia fazer.

Com a Corregedoria

Tem um advogado que está com um processo nº: 0010979-90.2000.8.02.0001 (001.00.010979-8) julgado em procedimento ordinário desde fevereiro do ano passado em seu poder e o juiz da 6ª Vara Civil de Maceió nada tem feito para reparar o abuso que está sendo cometido, prejudicando a parte interessada. O advogado da parte prejudicada bem que requereu em julho do ano passado que os autos fossem devolvidos ao juízo, mas até agora nada. Um tema para a Corregedoria e o Conselho Nacional de Justiça. 


O alvo é o Biu

Invariavelmente alguns setores dão a carga no deputado federal Arthur Lira, relembrando fatos da Operação Taturana. Mas estranhamente não comentam nem citam outros parlamentares que foram presos na época e que estão também sendo processados. Também desconhecem que Arthur foi um dos vinte parlamentares de melhor atuação na Câmara, segundo a Revista Veja. Parece um jogo marcado para tentar prejudicar o senador Benedito de Lira, candidato ao Governo do Estado e pai de Arthur. O deputado, por sinal, deverá ser reeleito com folga nas próximas eleições.


Ficha limpa

De acordo com notícias do Congresso em Foco, em Brasília, meses atrás, o senador Biu é o único que não tem nenhum processo, nem contas a ajustar com a polícia ou a justiça. 


Só em junho

A assembleia de credores da Laginha, do Grupo João Lyra, só deve se realizar em junho próximo e não em maio como vinha sendo comentado. Com novo administrador, o advogado Carlos Franco já que Ademar Fiel pediu para se afastar, as medidas tomadas com orientação da justiça estão em ritmo acelerado. Os administradores e a equipe técnica de João Lyra trabalham para que ninguém saia prejudicado nessa situação, nem os credores, nem tampouco o Grupo JL.


Mudança de rumo

Nomes fortes da política local devem mudar de rumo nos próximos dias. As conversas estão acontecendo e anúncios deverão acontecer até o mês de maio. Alguns candidatos com mandatos não estão nada satisfeitos com os acordos que estão sendo realizados nas caladas da noite.


Meia volta

Givaldo Carimbão não gostou das notícias de que estaria fazendo leilão entre os partidos PMDB e PP. E pediu ainda uma semana para decidir para qual lado vai pender. Carimbão disse que vai ouvir as bases, mas já sabe para onde vai. A melhor coligação para se reeleger.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia