Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 767 / 2014

23/04/2014 - 09:24:00

James Ribeiro trai o ninho tucano de Vilela para se aliar ao PMDB de Renan Calheiros

Resta saber se prefeito de Palmeira dos Índios será grato ou abandonará o governador Téo Vilela a quem deve obras e favores, inclusive pessoais

Geovan Benjoino [email protected]

O prefeito de Palmeira dos Índios James Ribeiro vive um dilema eleitoral: retribuirá ao governador Teotônio Vilela e votará em Eduardo Tavares, pré-candidato, do seu partido, o PSDB, ao Governo de Alagoas, ou encampará a pré-candidatura do deputado federal Renan Filho, do PMDB? A conveniência política prevalecerá sobre o sentimento de gratidão e fidelidade partidária?  

A luta pela permanência no poder vai ditar as regras do processo eleitoral? A traição sufocará a gratidão?Há quase oito anos que é apoiado integralmente pelo governador Teotônio Vilela a quem deve muito, inclusive favores pessoais, além de programas, projetos e obras realizadas no município de Palmeira dos Índios, James Ribeiro não vai poder continuar em “cima do muro” com uma bandeira vermelha e outra azul. Terá que, obrigatoriamente, em virtude do processo de afunilamento eleitoral, assumir publicamente de que lado vai ficar na sucessão estadual.

Muitos, inclusive analistas políticos, afirmam categoricamente que James Ribeiro apoiará “de corpo e alma” o pré-candidato do Chapão, o deputado federal Renan Filho a quem também deve muitos favores. Caso isso aconteça, como reagirá o governador Téo Vilela, seu correligionário, que anunciou oficialmente o nome do procurador do Estado Eduardo Tavares como pré-candidato à sua sucessão, ou seja, ao cargo de governador?

Téo Vilela vai retaliar Palmeira dos Índios? Vai perseguir o prefeito James Ribeiro execrando-o perante a sociedade? Irá suspender projetos e obras? Vai penalizar o prefeito por infidelidade partidária? A população de Palmeira dos Índios vai “pagar” por causa de uma briga entre caciques políticos? Os políticos são donos dos votos do eleitorado palmeirense a ponto de extrapolarem todas as regras da justiça, da ética e da democracia?

O terceiro colégio eleitoral alagoano, que se localiza geograficamente numa região privilegiada não merece retroceder nem ser vítima de interesses político-eleitorais.

Até o momento James Ribeiro tem tirado proveito político da ligação entre o governador Téo Vilela, o senador Renan Calheiros e o deputado federal Renal Filho. E, na condição de correligionário, aliado e amigo o prefeito, com muita habilidade e discrição, vem conseguindo agradar aos três políticos ao mesmo tempo.

O chefe da municipalidade palmeirense não quer se indispor contra nenhum dos aliados.A Bíblia enfatiza que o ser humano deve ser “frio” ou “quente”, jamais morno.Como representante maior de Palmeira dos Índios, terra que foi administrada com honradez pelo escritor Graciliano Ramos, o prefeito James Ribeiro tem o dever político e, sobretudo moral de assumir com todas as letras, de forma veemente, o nome de seu candidato ao Governo de Alagoas, “vestir sua camisa”, encampar seus projetos e se tornar um soldado de sua candidatura.

Assim enfatiza as normas que regem a retidão, a legalidade, a transparência e a democracia.Resta saber se o prefeito James Ribeiro vai priorizar o sentimento de gratidão ao governador Téo Vilela ou deixar ser levado pelas conveniências político-eleitorais.O tempo nos revelará.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia