Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 766 / 2014

15/04/2014 - 09:51:00

Carteira de motorista para um cego

José Arnaldo Lisboa Martins [email protected]

Se me perguntarem o que é um Partido Político, eu direi que “é uma mistura de pouquíssimas pessoas de bem, convivendo com hipócritas e mercantilistas que, fingem estar preocupadas com o bem estar do povo”.  

No Brasil, existem 32 Partidos Políticos, diferentes entre si, apenas, na maneira de prometer e de enganar ao povo. Enquanto os Estados Unidos só possuem 2 Partidos, aqui nós temos uma infernália de siglas, como se aqui fosse, realmente, uma Democracia. Muitos dos Candidatos que fazem parte dessas Agremiações Políticas, não sabem, nem o que sejam as palavras “progressista, humanista ou republicano”.

Vejam que até um Analfabeto, como o Palhaço Tiririca, foi eleito Deputado Federal e que um Semi-Alfabetizado, como o Lula, foi eleito Presidente da República. Ora, Democracia não é isto! Tudo tem que ter Norma, Lei ou Disciplina. Ás vezes confundem à Democracia, com Anarquismo, como já aconteceu na Itália. O Anarquismo é um sistema que defende a anarquia, que busca o fim do Estado e da sua autoridade.

Com a experiência já obtida como eleitor, tenho notado que é uma vergonha, o nível de discernimento do nosso eleitor, sem nenhuma vergonha, para vender seu voto.  Ora, o Brasil com seus 32 Partidos Políticos, dá uma demonstração de que “tudo gira em torno do dinheiro”, tanto para quem recebe, como para os que dão o dinheiro e que podem comprar seus mandatos, com ele. Na realidade, nós não temos uma Democracia, e sim uma “dinheirocracia!.

Através de uma fato acontecido comigo, vejam vocês se é ou não é assim mesmo, o que acontece. No ano de 1992, eu escrevi um livro intitulado “Quem paga da batida?”, referente a Acidentes de Trânsito. Á título de ilustração, eu aproveitei a ocasião para informar, no meu livro:  “Porque acontecem os acidentes”, Como dirigir para evitá-los”, “Como se comportar depois deles”, “Como fazer um acordo no local”, “Quais os problemas, se houver vítima”, “Quando e como procurar a Justiça” e “Como Acusar e se defender na Justiça”.

Fiz o lançamento do livro no Tribunal de Justiça de Alagoas, com o auditório lotado, com quatro Desembargadores presentes, com três ex-Governadores, familiares e amigos. Convidei para apresentador do livro, o meu amigo já falecido,  o Dr. Mendonça Neto, Deputado Federal. Meses depois, recebi um telefonema dele, de Brasília, convidando-me para ser Candidato a Vereador por Maceió,  ele na qualidade de Candidato a Prefeito.

Eu pensei ser uma brincadeira, porém, ele insistiu tanto que eu resolvi, primeiro, ouvir meus familiares. Uns me aconselharam aceitar o convite e muitos outros acharam melhor dizer “não”.

O Dr. Mendonça, continuou insistindo tanto que, eu terminei aceitando o convite. Com poucos dias, eu fui escolhido pelo Presidente Nacional do PDT, Eng. Leonel Brizola,  para ser o Presidente do PDT de Maceió. Dias depois, o Deputado Mendonça Neto, desistiu da candidatura e, nos coligamos com Ronaldo Lessa e Heloisa Helena, candidatos a Prefeito e Vice. Como eu já tinha sido Diretor de Planejamento do DETRAN, a primeira coisa que me pediram, foi para que eu arranjasse uma Carteira de Motorista para um Cégo, para prejudicar a Senhora Denilma Bulhões, nas suas pretensões.

Daí em diante, passei a saber o que acontece nas eleições. Um Fiscal de outro Partido, meu ex-aluno de Física, me disse que ficasse de “olho”, pois, um outro candidato com o mesmo nome meu, estava ficando com meus votos, pois, as apurações, ainda eram sobre as mesas do Clube Fenix. Aprendí que as eleições são podridões da “democracia”. A experiência foi boa !

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia