Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 765 / 2014

09/04/2014 - 09:53:00

POR DENTRO DO ESPORTE

João de deus [email protected]

CRB em novos tempos

Marcos Barbosa, presidente do CRB, reuniu torcedores no sábado-29. Foi  uma despedida do Galo do histórico terreiro da  Pajuçara e proclamação de novos  tempos na Barra de São Miguel com a construção  do novo Centro de Treinamento. Em Maceió, na Iris Alagoense, paralela a Avenida Duque de Caxias fica a sede social.  Para o torcedor as mudanças são bem-vindas. 

Confiança

“Vamos ter o maior patrimônio esportivo do Estado.  A torcida pode esperar.” O comentário foi  de Roberto Fernandes,  reconhecido também como esteio forte do CRB, menção  extensiva para Toroca, Fernando D’Aldeia,  Roberto Fernandes e outros que apóiam a diretoria executiva nos bastidores.  

     
No Mutange

 1 -  “O CSA não joga futebol. Pisa na bola.” Análise de torcedores foi não como de indignação pela má sorte nos jogos mais pelo excesso de erros dos jogadores.  Lastimaram  a correria  que, segundo alguns  atropela o bom nível  técnico. do plantel. A derrota para o CSE domingo  (2x0) retrata esse quadro.  No Mutange Lino passa a técnico efetivo e o Azulão se mantém primeiro do grupo.
2 – Lino tem apoio para recuperar o CSA da má fase nos jogos restantes do  segundo turno do estadual e proximamente contra o São Paulo pela Copa do Brasil..Ele foi ídolo no Mutange como jogador vindo da prata da casa e tem experiência na nova profissão. 

Reclamação

Também dos lados do Mutange  o argumento montado em críticas ao estado do gramado não teve eco entre alguns torcedores. A opção do rebate foi montada na que acharam “jogo apressado” do time e “falha humana.” O primeiro gol em especial.

  
Do penalti

Do lado palmeirense registro é que o pênalti que resultou no segundo gol do CSE podia não ter sido marcado se o árbitro  usasse a lei da vantagem, pois a conclusão da jogada foi bem-sucedida,  balançando a rede.  Antônio Alves Santos, torcedor do CSE, achou que no final  “foi feito justiça.” 


Nona rodada

1 -No fim da semana o campeonato alagoano ativa a nona rodada e tempera os jogos no afunilamento das chances de classificação dos finalistas da decisão da fase. Mas um detalhe: o  CRB sendo campeão também desse turno leva também o título estadual. .
2 -  Mas tempero para esquentar o clima: CSA e CRB ainda vão se enfrentar e quem sabe não será jogo do tudo ou nada para os dois?

Champions League

Com gol de Neymar, o Barcelona empatou (1x1)  com  o  Atlético de Madrid na terça-feira. No outro jogo também da  Uefa Champions League  (quartas de final), Bayern de Monique  x  Manchester United repetiram o 1x1. Para a mídia espanhola o brasileiro se redimiu das atuações anteriores e público do jogo foi de 78.447 torcedores. Outros jogos:Real Madrid 3 x 0 Borussia Dortmund e PSG 3x1Chelsea.

Decisões

Da rodada do fim de semana chama atenção Brasil  afora a decisão do carioca reeditando um Flamengo e Vasco após 10 anos sem enfrentamento numa disputa pelo título desse estadual. Já em São Paulo definição será  em dois jogos, ambos no Morumbi. São finalistas  Santos e Ituano.

 
Copa do Brasil

Alagoas  joga a temporada da Copa do Brasil, este ano, com quatro clubes:  ASA, CRB, CSA e o Santa Rita. Os jogos deixam vestígios de que não vão ser fáceis para nenhum dos quatro. Nesta fase primeira os confrontos acontecem com eliminatórias em  jogos de ida e volta.Ou em miúdos, disputa estilo tudo ou nada.  

Volta por cima

O ASA reencontrou o caminho das redes adversárias, somando uma vitória na rodada mais recente do campeonato alagoano. Mas é de convir, e os torcedores têm consciência, que o alvinegro precisa melhorar  para dar conta do recado. Isso por não pegar adversário só de dentro da Alagoas. As competições nacionais começam a levantar bandeira de atenção para a largada. 


É profissionalismo?

Jogadores extrapolam limites  encenando faltas.  A  observação apimentou conversa em roda de torcedores, alguns “peladeiros” e foi aprovada por unanimidade.  É “malandragem” que hoje infesta o futebol brasileiro. É só perder o domínio da bola e o “craque” aplica o cai-cai e pior, o juiz vai na onda.


Mais  observação 

Um carrinho com bola em jogo é difícil de separar a má fé de quem o aplica com argumento de ser jogada dura mais  leal. Já os árbitros, sem a mesma visão do jogo de quem está na arquibancada, algumas vezes se deixa ser  levado pelas  torcidas. Só o replay do lance pela televisão discipa. Mas é a dúvida parte do jogo como uma paixão nacional. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia