Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 762 / 2014

19/03/2014 - 10:01:00

Estado e município realizam pesquisa para Plano de Mobilidade Urbana da capital e adjacências

Redação com assessoria

Na próxima semana, o governo de Alagoas, em parceria com a prefeitura de Maceió, vai realizar uma pesquisa domiciliar de origem destino para auxiliar os trabalhos do Plano de Mobilidade Urbana 2014, que inclui a região de Satuba, Rio Largo e Maceió. Estudo foi  divulgado na quarta-feira, 12,  um mês após a visita da presidente Dilma Rousseff a Maceió.

Na ocasião, dia 18 de fevereiro, a presidente afirmou que o governo deve repassar cerca de R$ 399,3 milhões para serem investidos em Maceió e região metropolitana.A pesquisa tem um prazo de 90 dias para sua conclusão e deve se manter atualizada por até 20 anos, com a necessidade de calibração após dez anos apenas para complementação dos dados. Vale ressaltar que a última desse tipo foi realizada em 1978. 

A pesquisa que foi apresentada  pelos  secretários de Estado da Infraestrutura, Marcos Vital, e municipal de Planejamento, Manoel Messias, e pela superintendente de Transporte e Logística da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), Roberta Rosas, está dividida em três partes, sendo a primeira a mais relevante para traçar o perfil de deslocamento. Ele servirá de insumo para as diretrizes e projetos estruturantes na área de mobilidade da capital e adjacências.

 Para a primeira parte da pesquisa, a Grande Maceió foi dividida em 90 zonas, das quais apenas 78 receberão pesquisadores, visto que o restante são áreas rurais com pouca densidade urbana. Em cada zona, de 18 a 72 famílias responderão a um questionário com perguntas que envolvem tipo de transporte utilizado, áreas de deslocamento e desejo de viagens da população, entre outras, totalizando aproximadamente 2900 amostragens.

 A segunda parte corresponde à pesquisa de Linha de Travessia para contagem volumétrica de lotação dos ônibus coletivos e de tráfego local. Já a terceira parte diz respeito à pesquisa de Contorno, na qual todos os acessos à cidade de Maceió serão monitorados para contagem de tráfego de entrada e saída de veículos, entrevistas com condutores, entre outros aspectos. “A primeira parte é mais importante, sem dúvida, porque exige a participação da população, que vai nos subsidiar.

Nesse primeiro momento, é imprescindível que as famílias abram suas portas para os pesquisadores e participem ativamente para que tenhamos uma pesquisa detalhada do deslocamento urbano na Região Metropolitana”, afirmou a superintendente Roberta Rosas. O secretário da Infraestrutura, Marcos Vital, ressaltou a importância da pesquisa para a elaboração dos projetos de mobilidade. “Estamos empenhados em desenvolver uma infraestrutura que atenda às necessidades de deslocamento da população”, afirmou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia