Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 762 / 2014

19/03/2014 - 09:30:00

Mude o Brasil nas urnas

Ataíde Lemos

Quanto mais a classe politica fica desacreditada pela sociedade, maior a possibilidade dos atuais governantes permanecerem, esta é uma estratégia usada pelos governantes e isto é muito simples de entender.

Quando há uma eleição, normalmente, os governantes iniciam com uma boa vantagem sobre os demais candidatos concorrentes, não somente devido estar com a máquina na mão, com a chave do cofre e com a caneta, mas porque durante todo seu mandado promoveram algumas politicas que de alguma maneira, muitos foram beneficiados, este é um ponto e depois vem o colocado no inicio do paragrafo que é a maquina na mão. Ainda é preciso dizer que eles iniciam com milhares de cabos eleitorais que são os funcionários comissionados, os ministros, secretários, desde o primeiro escalão ao terceiro. Ainda contam com um numero maior parlamentares e prefeitos.

Enfim, o candidato (presidente, governadores) sai com uma vantagem enorme. Tem que levar em consideração ainda, que o presidente ou governador disputa sozinho contra vários candidatos que terão uma votação dividida. Portanto, pelo exposto dá para perceber claramente que numa condição normal as chances do presidente, governador vencer é quase 100%.

Pois bem, quando estamos desacreditados com a classe politica um dos primeiros pensamentos é: não votar em ninguém, ou votar em branco e por fim anular o voto. Este tipo de pensamento é normal todos os termos, no entanto, este procedimento colabora para que mantenhamos os mesmo nomes ou partidos os quais não gostaríamos mais que estivessem nos governando, porque então, precisamos votar em algum candidato? Simplesmente, porque a lei eleitoral considera apenas os votos válidos, ou seja, se num universo de 1 milhão votos, há apenas 700 mil, estes que serão considerados validos para eleger o presidente ou o governador, isto é, os votos nulos, brancos e abstenções são desconsiderados no caso da eleição para cargo majoritário (presidente e governador).

Volto então ao inicio, se os candidatos à reeleição já saem com um numero expressivo de votos, certamente, eles se reelegerão com muita facilidade. Como exemplo, cito o que houve na eleição passada, Dilma se reelegeu mesmo não tendo 50% dos votos totais dos eleitores brasileiros, ou seja, a soma dos votos do adversário somando os nulos e brancos e abstenções foram maiores quantitativos dos votos que ela recebeu.

Finalizando, por isto, a necessidade do eleitor não abster-se de votar, não anular ou votar em branco, porque o voto seu em algum candidato somará contra o candidato a reeleição ou do candidato ou partido que você não quer ter-te governando.

Portando, proteste contra o governo, caso esteja descontente com ele, mas, de uma maneira inteligente. De uma forma que seu voto de protesto realmente, produza efeito. Não temos uma bola de cristal para acertarmos um governo que desejamos, mas, pelo menos, não estamos permitindo que estes governos maus continuem a nos dominar.

Os mensaleiros somente foram absolvidos dos crimes de quadrilha, porque faz 12 anos que o PT está no governo e foi ele quem escolheu os 2 ministros que traíram o povo brasileiro. Um partido que mantem-se no poder acima de oito anos finca raízes nas instituições capazes de criarem uma ditadura disfarçada de democracia.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia