Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 761 / 2014

11/03/2014 - 18:14:00

Gustavo Feijó é denunciado por conivência com suborno na FAF

Presidente do Comercial de Viçosa diz que presidente afastado da FAF foi informado do fato e nada fez

DA REDAÇÃO

A Federação Alagoana de Futebol (FAF) está envolvida mais uma vez em denúncias de irregularidade por parte de seus dirigentes. A entidade, que  já desafiou em período recente a cidade de Penedo com o autoritarismo por parte de seu presidente, Gustavo Feijó - atualmente licenciado e prefeito da cidade de Boca da Mata -  agora surge novamente no noticiário com denúncia de suborno por parte um de um de seus integrantes. 

Quem acusa é o filho do prefeito de Viçosa e presidente do Comercial (time da cidade), Flavius Flaubert, que por meio de uma gravação diz  ter provas de que foi subornado pelo funcionário da federação Roque Júnior no valor de R$ 1. 200, O acusado  tem o cargo de superintendente da entidade.De acordo com Flaubert, o fato foi denunciado ao próprio presidente licenciado, Gustavo Feijó, que até o fechamento desta edição nada tinha feito para punir o funcionário acusado da FAF.

“Comunicamos o fato ao Feijó, mostramos a gravação e ele disse que realmente se tratava de um suborno. Prometeu tomar as providências, mas já se passou mais de uma semana e ele nada decidiu”, acusou Flavius Flaubert.O suborno, segundo o presidente do Comercial, se deu porque o time precisava regularizar seus atletas para o Campeonato Sub-20 do Estadual de futebol, sob pena de ser punido com o afastamento da competição.“O Roque Júnior ainda agrediu moralmente meu pai dizendo que ele era um ‘prefeitinho’. Ele está com raiva porque eu disse que levaria o fato ao Ministério Público e à imprensa porque agora eles mexeram com alguém que tem coragem de denunciar as mazelas  dentro da federação”, completa Flaubert.

O OUTRO LADO

Em entrevistas à imprensa o superintendente da Federação Alagoana de Futebol, Rock Júnior, contra-atacou com argumento de que a gravação usada por Flávius Flaubert é uma sabotagem.“Isso é uma armação dele para jogar a incompetência dele e toda uma cidade contra mim.

Em verdade, foi ele quem me ofereceu o dinheiro e armou a gravação do jeito que quis. Este cidadão chegou com uma dia e 12 minutos de atraso para fazer o procedimento dos atletas no BID lá na Federação e quer jogar a responsabilidade da incompetência dele no clube que dirige nas minhas costas”, argumentou o superintendente ao jornal Gazeta.

Tenho várias testemunhas de que foi ele que armou tudo. Rock Júnior diz que o diálogo se refere a uma empresa de transportes que mantém e do qual tira o sustento.

“Pode prestar atenção que o tempo todo eu realmente falo de R$ 1. 200, mas é referente ao aluguel das diárias dos ônibus da empresa. cada uma é R$ 300”, disse Roque em entrevistas à imprensa. Questionado sobre a discussão em que teria chamado o pai de Flávius , o prefeito de Viçosa Flaubert Toreers Filho de “prefeitinho”, Rock Júnior confirma.“Ele ligou para mim e me ofendeu moralmente. Daí eu o chamei de ‘prefeitinho’ sim, assumo”, relatou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia