Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 758 / 2014

12/02/2014 - 09:24:00

Advogado é acusado de aplicar golpe de mais de R$ 2 milhões em clientes

Edvaldison Simões Nobre do Amaral falsificou documentos da Caixa Econômica Federal e fez uma série de depósitos bancários fraudulentos; OAB/AL já sabe do caso

João Mousinho [email protected]

O advogado Edvaldison Simões Nobre do Amaral é acusado de cometer uma série de golpes em clientes. Mais de 20 pessoas, ao que se sabe, já foram lesadas pela “lábia” do operador do direito que vende ilusões, ganha a confiança dos clientes e transforma pagamentos em espécie de clientes em dinheiro para benéfico particular. 

A reportagem do jornal Extra ouviu os empresários Bruna Braga e Vitório Dall’Agnol ex-proprietários dos restaurantes Chef Chu, unidades Farol e Ponta Verde. O casal foi mais uma vítima de Edvaldison Simões Nobre do Amaral. “Desde 2008 Edvaldison era advogado das empresas e sempre ele incentivou para que nós demitíssemos funcionários por qualquer atraso e pequenas condutas indesejadas.

Mas não sabíamos que tudo isso era feito para que posteriormente ele aplicasse um golpe na empresa; o que se perdurou por algum tempo”, destacou Bruna. A empresária revelou que os acordos trabalhistas eram realizados e o dinheiro “vivo”, que era dado para Edvaldison, por sua vez não repassa as quantias.  

“Foram mais de 80 demissões em um curto período e o golpe era sempre realizado. Acreditando na competência do advogado da empresa o desmando se perdurou por tempos”, revelou Vitório Dall’Agnol. O empresário disse o prejuízo é incalculável. “Só para ter uma ideia, eu perdi um apartamento de R$ 600 mil, carro, meus restaurantes fecharam e dívidas com fornecedores.

O efeito dominó se deu pela prática criminosa desse advogado. Quem vai arcar com essa injustiça?”, desabafou Vitório. A esposa de Vitório, Bruna disse que juntando todas percas materiais, dívidas trabalhistas e o fechamento dos estabelecimentos “certamente o golpe de Edvaldison ultrapassou mais R$ 2 milhões”.  O que chama atenção dos ex-clientes de Edvaldison é a sua ousadia criminosa em falsificar documentos da Caixa Econômica Federal, simular depósitos falsos e se manter impune. 

“Temos a documentação de cofissão de dívida dele (Edvaldison Simões Nobre do Amaral), mas ele sempre fica protelando o pagamento, afirmando que está viajando, que irá se reunir comigo, mas nada não passa de falácia. Vamos levar o caso da Polícia Federal, pois existe crimes contra instituição federal, que é um banco. Vamos procurar a Justiça para por fim a série de estelionatos praticados por esse cidadão”, finalizou Vitório Dall’Agnol.O caso já foi levado pelos empresários para a Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas, em denúncia formal e ao comando da Polícia Civil. 


Mais denuncia

O representante comercial Gilmar Alves Nunes foi outro que esteve na sede do jornal Extra para expor o que vem ocorrendo com um uma grande quantidade de pessoas. “Eu tinha dois veículos e entrei com a ação revisional para por fim aos juros abusivos dos bancos, mas infelizmente o prejuízo foi pior”, contou Nunes. O representante revelou que o advogado contratado para realizar tal atividade foi Edvaldison Simões Nobre do Amaral, que ágil com o mesmo modus operandi: “Ao invés de fazer os depósitos judiciais ele ficava de posse das quantias e sempre me trazia os comprovantes de depósitos fraudulentos”.

 Gilmar Nunes denunciou o caso a OAB/AL e opinou: “espero que esse cidadão permaneça bons anos atrás das grades, pois o que ele fez é imperdoável. Com as recentes denuncias várias pessoas estão se sentindo encorajadas para fazer o mesmo”.Por fim, Nunes disse que realizou o pagamento de um dos veículos e outro se encontra em busca e apreensão devido à irresponsabilidade e ação criminosa de Edvaldison Simões Nobre do Amaral. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia