Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 757 / 2014

04/02/2014 - 18:40:00

A dança dos políticos

Alari Romariz Torres* *Aposentada do Poder Legislativo.

Vivemos num Estado pequeno, lindo e maltratado pelos políticos.  Entramos em 2014, ano de eleições para deputados, senadores, governadores e Presidente da República. O jogo está no cenário da mídia.

Não dá para entender quem vai ser candidato a que. As velhas raposas se manifestam, mas não dizem a verdade.É voz corrente em todo o Estado que para se eleger ou reeleger deputado estadual a criatura precisará de 15 milhões de reais. De onde sairá tanto dinheiro se, depois de eleito, se não usar verba pública, o deputado não cobrirá tal valor?O nosso Legislativo, desmoralizado, envolvido em escândalos, está repleto de deputados sabidos. Os da Mesa Diretora já foram indiciados pela Justiça por improbidade administrativa, desvio de dinheiro público.

A grande maioria inclusive alguns da oposição, se envolveram no rateio de valores públicos. Poucos escaparam dos crimes praticados pela Mesa. Um ou dois podem escapar da Justiça.

O Governador, desgastado, cercado de aves de rapina arranhando-o desbragadamente, desistiu de ser candidato ao Senado. Restam Heloísa e Collor. Ela ainda sonha com o idealismo político e não tem muito dinheiro. Ele, macaco velho, acostumado com os jogos sujos da eleição, aguarda o momento de dar o bote e derrubar alguns seguidores.Para Governador do Estado a briga está feia. Nonô, Vice-Governador, não é muito aceito pelos companheiros.

Já tentou o Senado e se deu mal, foi traído. É uma pessoa de personalidade forte, acha-se mais inteligente que os outros, não se envolve em escândalos, mas não é simpático.Renan não diz o que quer. É o Presidente do Senado, está fazendo tolices para agradar seus pares, tem muita penetração política em Alagoas, mas está bastante desgastado.

Joga o nome do filho, Deputado Federal novo e inexperiente. O grande sonho de Renan é ser Governador de Alagoas, mas já levou uma rasteira de Collor quando foi eleito o célebre GB.Biu de Lira se elegeu Senador numa campanha caricata e inteligente. Carrega uma mala pesada e sem alça: seu filho Artur Lira que saiu de Alagoas cheio de processos. Mas, ainda acho que se souber montar a campanha, tem chance.

Faz o estilo popular que agrada os eleitores.Para Deputados Estaduais e Federais temos candidatos à reeleição que não fizeram bom trabalho. Poucos não se envolveram em escândalos, outros se juntaram a figuras políticas sujas e comprometidas.Ainda acredito em alguns, mas não vejo chances de serem eleitos. Não cito nomes por questão de ética, mas há federais que poderiam ter feito excelente trabalho na área social e não o fizeram. Perderam o bonde da história...Ronaldo Lessa continua no jogo político.

Precisa de mandato porque está cheio de processos, mas não se definiu ainda e os aliados fogem dele por causa da atual rejeição. No fim, não sei onde se encaixará.A grande verdade é que o idealismo inexiste. Até Marina Silva entrou na dança e se aliou a Eduardo Campos, desgastado, não fala a mesma língua dela. Como é ¨coisa nova¨ pode ser que pegue e consiga derrubar a Dilma.     

Para Presidente as opções são poucas e corremos o risco de reeleger a Dilma. Não é das piores, mas sofre pressões do PT, do Lula e dos outros partidos. Virou o samba do crioulo doido...Uma outra opção é o Aécio. Não tem agradado à opinião pública e é voz corrente que gosta de uma festinha braba... O PT, ah! O PT.

Chegando ao governo virou sujeira total. Aqui em Alagoas, nunca conseguiu o Governo do Estado; elege um ou dois Deputados e só isso. Com o escândalo dos mensaleiros caiu no descrédito popular.   

 Enfim, o eleitor alagoano e brasileiro vai ter dificuldade para votar corretamente. A linguagem dos políticos é dúbia, nem sempre eles dizem o que pensam. O desempenho é pífio. A maioria só vê dinheiro e poder. Logo amigos, comecem a refletir hoje. Não deixem de votar, mas tenham bastante cuidado. Não reelejam as raposas velhas, os taturanas, os mensaleiros e os taturanas dois. Pensar, professor, pensar.   

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia