Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 756 / 2014

29/01/2014 - 16:40:00

Reforma ministerial pode tirar Benedito de Lira da disputa ao governo de Alagoas

Renan quer transformar o senador em ministro e assim consolidar a candidatura de Renan Filho a governador

DA REDAÇÃO

Com o governador Téo Vilela já fora da disputa ao Senado, o senador Renan Calheiros articula agora uma alternativa para tirar o senador Benedito de Lira da disputa ao governo do Estado.  A saída honrosa é transformar Biu de Lira em ministro das Cidades e assim consolidar a candidatura do deputado Renan Filho ao governo de Alagoas, que vê Lira como único adversário.

As conversações nesse sentido já começaram em Brasília dentro da reforma ministerial conduzida pela presidente Dilma Rousseff. O PMDB, que já tem cinco ministérios, também quer a pasta da Integração Nacional, que comanda grandes obras no país.

Mas Dilma pretende entregar esse ministério ao novato PROS dos irmãos Cid e Ciro Gomes, como forma de barrar o crescimento de Eduardo Campos no Nordeste. “Nesse caso – diz reportagem da Revista IsotÉ – o PMDB reivindica o Ministério das Cidades, de grande peso eleitoral, maior até que o Ministério da Integração Nacional. Mas as Cidades hoje pertencem ao PP, cujos caciques são o deputado Aguinaldo Ribeiro, o senador Francisco Dornelles e a senadora Ana Amélia, todos vozes influentes no Planalto. É nesse emaranhado de interesses político-partidários que entra o senador Renan Calheiros, uma das vozes mais influentes no PMDB.  

Segundo a revista IstoÉ desta semana (n.2304) Calheiros “está empenhado em manter o Ministério das Cidades com o PP, desde que o titular venha a ser o senador Benedito de Lira, alagoano como ele”. O próprio Biu de Lira já disse publicamente que não abrirá mão de disputar o governo de Alagoas, mas o Planalto considera que seria humanamente impossível Biu resistir a um ministério de R$ 23 bilhões, com R$ 7 bilhões só para investimentos, valores próximos do orçamento de Alagoas para este ano. 

Biu de Lira é considerado como obstáculo à consolidação da candidatura do deputado federal Renan Filho ao governo estadual. Com Biu fora do caminho, Renanzinho dificilmente teria adversário na luta pela sucessão de Téo Viella.

Mas, se Biu de Lira resistir à tentação de comandar um ministério bilionário, Renan certamente assumirá sua própria candidatura, hoje reivindicada por diversas lideranças políticas e empresarias do Estado. Para essas lideranças, Renan é a bola da vez e só não será governador de Alagoas se não quiser.

Argumentam que Calheiros não tem nada a perder nessa disputa. Lembram ainda que mesmo na remota possibilidade de uman derrota, Renan detém um mandato de senador até 2018, quando poderá disputar a reeleição ou o próprio governo do Estado.  “Afinal – dizem seus aliados – ganhar e perder faz parte do jogo democrático”. É esperar para ver.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia