Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 756 / 2014

29/01/2014 - 16:08:00

Ex-prefeito de Major Izidoro tem bens bloqueados pela Justiça

Ítalo Amaral é responsabilizado por cometer uma série de atos de improbidade administrativa

João Mousinho [email protected]

No início desse mês o juiz Fausto Magno David Alves decidiu bloquear as contas do ex-prefeito de Major Izidoro, Ítalo Suruagy do Amaral. Ele é responsabilizado por atos de improbidade administrativa promovida pelo município, já que na época como chefe do executivo teria agido negligentemente na arrecadação de tributo, bem como deixaram de prestar contas, “embora obrigados a fazê-lo”, enfatizou a decisão do magistrado.

Além de Ítalo Amaral; Luciano Suruagy do Amaral (irmão do ex-prefeito), na condição de secretário de finanças da época, participou do esquema que deixou de recolher integralmente as contribuições previdenciárias devidas pelo município de Major Izidoro, assim como as recolhidas dos servidores e que, de igual forma, não ingressaram nos cofres da previdência municipal.

Segundo a Justiça, foi gerando um déficit de pelo menos R$ 2 milhões aos cofres públicos de Major. Pessoas ligadas a atual administração afirmaram a reportagem do jornal Extra que verdadeiras aberrações administrativas foram realizadas por Ítalo e essa seria uma das primeiras a vir à tona.

A decisão de bloquear R$ 2.004.157,89 dos réus Ítalo Amaral e Luciano Suruagy do Amaral é a garantia que o erário seja ressarcido pelo prejuízo causado pelo ex-prefeito e o ex-chefe da pasta. “Assim, constatados desvios no exercício dos poderes concedidos ou dos recursos públicos administrados, não tendo os responsáveis agido de forma criteriosa no trato da coisa pública deverão ser responsabilizados”, conclui um dos fragmentos da decisão.

A decretação da indisponibilidade dos bens foi referente, também, a prática de enriquecimento ilícito e malversação da coisa pública. A reportagem do jornal Extra tentou entrar em contato com ex-prefeito Ítalo Amaral e o ex-secretário para falar sobre o caso, mas ambos não foram localizados em seus telefones.

Sem bens e sem mandado

Em junho de 2013 o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL) cassou os direitos políticos do ex-prefeito de Major Izidoro, Ítalo Amaral, por oito anos por abuso de poder político e econômico.Ítalo teve que arcar com uma multa de R$ 63.840,00.

Um dos trechos da decisão mostra como o ex-chefe do executivo se beneficiava politicamente de forma irregular: “ele é acusado de desviar cimentos, canos e areia da obra de uma creche que estava sendo construída no bairro de Fátima, o mais carente da cidade, para serem trocados por votos.”

A denúncia ainda aponta que com o aval de Ítalo Amaral um carro que pertencia ao município era utilizado por parentes do ex-prefeito de forma indiscriminada. “O investigado utilizando-se de servidores e bens do município, montaram um grande esquema de distribuição de material de construção em troca de votos, em plena luz do dia”, sentenciou uma das falas do juiz Fausto Magno da 31ª Zona Eleitoral.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia