Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 755 / 2014

22/01/2014 - 09:52:00

Mudança no secretariado de Teotonio Vilela visa às eleições

Ex-secretários irão para o páreo para fortalecer a situação

João Mousinho [email protected]

O governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) anunciou essa semana à saída de seis secretários de Estado.  Pelos menos três ex-secretários irão disputar as eleições desse ano: Régis Cavalcante (Pesca e Agricultura), Rogério Teófilo (Articulação Política) e Alberto Sextafeira (Trabalho, Emprego e Renda).

Os outros três técnicos que se afastaram da gestão de Vilela foram: Luiz Otávio Gomes (Planejamento e Desenvolvimento Economico), Marcos Fireman (Infraestrutura) e Dário César (Defesa Social). A mini reforma tucana tem como principal intuito fortalecer alguns nomes para disputa proporcional do grupo político da situação. 

O ex-chefe da Infraestrutura disse em outras oportunidades que seu nome está à disposição do PSDB para disputar o pleito de 2014. Assim como em 2012, na corrida pela escolha tucana para disputa majoritária de Maceió, Fireman também faz lobby para ser o nome da sigla para encabeçar a chapa para o Executivo. Outro que também poderia compor uma chapa tucana seria Luiz Otávio Gomes, que até aqui não sinalizou interesse em qualquer disputa.

O que foi informado é que LOG retorna as suas atividades na iniciativa privada. Quem vai para o páreo, mais uma vez em 2014, são os ex-deputados Régis Cavalcante (PPS), Alberto Sextafeira (PSB) e Rogério Teófilo (PSDB). O caso do ex-secretário de Articulação Política chama atenção devido a sua capilaridade política no segundo principal colégio eleitoral do Estado, Arapiraca. 

Como o ex-governador tem pelo menos quatro nomes para escolher para sua sucessão: Alexandre Toledo (PSDB), Benedito de Lira (PP), José Thomaz Nonô (DEM) e um possível tucano; o nome de Teófilo vem ganhando força como o vice ideal. O ex-prefeito de Arapiraca equilibraria, assim, com as força da oposição no município que conta o apoio de Célia Rocha, atual chefe do executivo.

 Ainda sobre as eleições, um dos nomes que ventilam para tentativa de ocupar uma cadeira na Casa de Tavares Bastos é do ex-secretário de Defesa Social, Dário César (PSDB). Desde quando se instalou a crise da insegurança em Alagoas que Vilela garantiu a permanência de Dário e a tranquilidade para continuar suas atividades. A única motivação da sua saída para chegada de Eduardo Tavares é a confirmação do desejo de ser eleito para um cargo eletivo. 


Pasta da Segurança 

Com a chegada do ex-procurador geral de Justiça do Estado, Eduardo Tavares, para comandar a pasta da Defesa Social o comando das policias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiro também mudaram. No comando-geral da Polícia Militar, o coronel Dimas Cavalcante deu lugar ao coronel Marcus Aurélio Pinheiro, que já trabalhou com Eduardo Tavares no Ministério Público Estadual (MPE).

Pinheiro goza de prestígio junto ao novo comandante da pasta da Segurança e é um dos homens de confiança de Tavares. Desde a saída de Barenco, quem estava no comando da Polícia Civil era o delegado Paulo Cerqueira, que deixa o seu lugar para o também delegado Carlos Reis. Em recentes declarações Cerqueira disse que foi pego de surpresa, mas deixou claro que a PC está em boas mãos com o delgado Carlos Reis. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia