Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 755 / 2014

22/01/2014 - 09:33:00

Municípios alagoanos aguardam recursos federais para combater seca

37 cidades do Estado estão em situação de emergência devido à estiagem

Redação

Em Alagoas, 37 municípios aguardam a liberação de recursos federais para continuar os programas de combate à seca no Estado. É que no início do mês, o  governador do Estado, Teotonio Vilela Filho, voltou a decretar, em publicação no Diário Oficial,  situação de emergência nestas localidades situadas na região do semiárido do Estado e na segunda-feira, 13, o governo federal reconheceu a situação de emergência nestas cidades.

Os recursos, na ordem de R$ 10 milhões, serão destinados a carro-pipa, distribuição de ração animal, perfuração e ativação de poços, açudes, entre outros benefícios.  Segundo o Secretário Executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Alagoas, Major BM Sandro Cavalcante, “o reconhecimento federal possibilita a vinda e aplicação de recursos federais no combate a seca, o que tem ocorrido com mais celeridade devido ao novo sistema de informações, em que os municípios afetados informam diretamente à União os dados essenciais ao procedimento”.

No entanto, o secretário esclarece que o Governo Federal ainda não liberou os recursos e apenas reconheceu a situação de emergência. O próximo passo é aguardar que a União analise o plano enviado pelo governo do Estado. “O decreto federal saiu, foi reconhecida a situação de emergência, mas a verba ainda não chegou.Aguardamos os recursos para continuar o programa”, disse Cavalcante.

O documento leva em conta a redução das precipitações pluviométricas, a queda das reservas hídricas e os impactos decorrentes das perdas significativas na agropecuária da região do semiárido, além do alto comprometimento dos reservatórios hídricos locais, problema que tem ocasionado dificuldades no abastecimento de água para consumo humano e animal. 

O decreto tem como base um relatório técnico elaborado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Alagoas (CEDEC). Durante 180 dias, os órgãos estaduais adotarão as medidas necessárias para o combate à situação de emergência, em conjunto com os órgãos municipais. Vale ressaltar que o último decreto baixado para as mesmas cidades ocorreu em julho de 2013 e foi prorrogado até 12 de dezembro, do mesmo ano.

Para o prefeito de Pão de Açúcar, Jorge Dantas, trata-se apenas renovação da situação de emergência, uma vez que a seca persiste em Alagoas. Ele afirmou ainda que os municípios não gerenciam a verba federal, apenas recebem o programa. “Não existe dinheiro transferido para os municípios e sim recebemos os benefícios através de programas”, disse Dantas. 

NA SECA 

Os municípios alagoanos declarados em situação de emergência são: Água Branca, Arapiraca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Canapi, Carneiros, Coité do Nóia, Craíbas, Delmiro Gouveia, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Igaci, Inhapi, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Major Izidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Palmeira dos Índios, Pão de Açúcar, Pariconha, Piranhas, Poço das Trincheiras, Quebrangulo, Santana do Ipanema, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Traipu.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia