Alagoas, 16 de outubro de 2021 25º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Marcus Assunção
Opinião

Fique por Dentro

Por Marcus Assunção
TONS DA CULTURA ALAGOANA

Vânia Oliveira e seu rico artesanato com tons da cultura popular

Marcus Assunção

15/09/2021 10h10 - Atualizado em 15/09/2021 10h10

Vânia Maria Oliveira Santos
DivulgaçãoVânia Maria Oliveira Santos

Vânia Maria Oliveira Santos

Mestra artesã Vânia Oliveira é alagoana, Patrimônio Vivo do Estado de Alagoas, com mais de 39 anos fazendo o que mais gosta: artesanato. Sobrevive de sua arte e ainda encontra disposição para a militância em prol da categoria em todas as esferas. Foi eleita conselheira nacional do Pleno do Conselho Nacional de Políticas Culturais e contribui significativamente para a causa artesã, a elaboração do Plano Nacional do Artesanato e da Base Conceitual do Artesanato Brasileiro como consultora. É presidente da Federação Alagoana de Artesanato, secretária da CONART BRASIL – Confederação Nacional de Artesãos e vice presidente da Associação das Artesãs Criativas de Alagoas, que fundou com a comunidade a qual repassa seus e saberes e fazeres com maestria.

Ganhou vários prêmios nacionais e estaduais em reconhecimento de suas contribuições ao segmento. Luta incansavelmente para que o artesão receba o reconhecimento pela importância como o sujeito que mantém viva a cultura popular por forjar com suas próprias mãos artefatos históricos que estão impregnados de história viva, que encanta e mantém preservada parte da cultura de um povo. Foi por este motivo que a Mestra Vânia Oliveira escolheu os folguedos do folclore nordestino como inspiração de suas obras. Bumba-meu-boi, chapéus de guerreiros e esculturas de personagens da cultura popular feitos de papel machê estão entre suas artes mais conhecidas.

Atualmente seu maior ideário é um Centro do Artesanato Alagoano, cujo projeto pronto está sendo apreciado pelos gestores com uma forte perspectiva que saia brevemente do papel e se concretize para o bem comum de todos.

Mestra Vânia Oliveira se inspira nos guerreiros também para encontrar forças na luta árdua pela preservação dos saberes dos Mestres, mas também pelo artesão que ainda nem se descobriu artesão, pois em sua docência, trás à tona o dom da arte que há dentro de seus aprendizes e que ainda nem sabem que são portadores deste. Com a perspicácia inerente aos grandes mestres, ela desvela o talento velado que há em cada um e o faz consciente de que deve sempre buscar valorizar a cultura de seu povo, suas raízes como forma de manter viva nosso patrimônio, nossa história, nossa cultura.

Mas seu reconhecimento, e missão passam definitivamente pela militância em favor da causa de artesão e do artesanato, que aflorou no inicio da carreira. Vivia somente para fazer artesanato mas sentia falta de alguma coisa, como que uma necessidade, quase um chamado, para colaborar de alguma outra maneira. Fazer algo mais. Assim borda, dia a dia, um apurado trabalho de tessitura de uma grande rede nacional.

Seu reconhecimento tornou-se internacional e foi convidada a fazer parte da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares – IOV, instituição referendada pela UNESCO em que seus membros compõe um grupo seleto de pessoas cuja maior contribuição é salvaguardar o Patrimônio Cultural Imaterial de povos em mais de 150 países.

Prêmios e Comendas


- Prêmio da Cultura Popular Edição Leandro Gomes de Barros como Mestra Artesã pelo Ministério da Cultura
- Prêmio no Salão de Arte Popular Ana Holanda na FENEARTE, 1º lugar por voto popular;
-Comenda Nise da Silveira pelo Governo do Estado de Alagoas;
- Comenda Jarede Viana e Clarissa Severiano dos Santos pela Câmara de Vereadores de Maceió;
- Prêmio Notáveis da Cultura Alagoana
- Troféu Théo Brandão – SBPC, UFAL
- Troféu Selma Bandeira, Mulher Guerreia, Prefeitura Municipal de Maceió;
- Troféu Selma Brito – Cultura Instrumento do desenvolvimento,
- Troféu Movimentos dos povos das Lagoas
- Troféu Identidade Alagoana
- Prêmios na Lei Aldir Blanc como Mestra Artesã


Uma das coisas boas que me inspiram em Alagoas é o artesanato, Eu e minha sócia e companheira Fafá Rocha somos apaixonados. No inicio de nossas careiras como Produtores Culturais e realizadores de eventos em Maceió, também motivo de orgulho para nós, foi por termos escritos nosso terceiro Projeto Cultural, o Onze e Meia, no Bar e Restaurante do Alípio do Pontal. Bairro da essência do Artesanato, gastronomia e a natureza Alagoana com uma boa pitada do tempero a boemia e cultura. 

Grandes nomes que passaram por este palco e marco histórico se encantavam com esta junção de coisas boas e diferenciadas dificilmente encontradas em outras partes do Brasil e do Mundo. Um dos nossos grandes nomes da MPB e de reconhecimento Internacional Baden Powell, foi um deles. Mesmo com uma ótima estrutura de som, luz, mídia de divulgação que dávamos a cada atração do Projeto. Daí fomos alertados por suas empresárias, as amigas e produtoras Mel e Solange de Aracaju, ao conhecerem o local, que o artista poderia discordar de alguns aspectos do lugar, tipo o formato do palco, o posicionamento do público, a casa ser de frente para lagoa, um pouco do cheiro dos frutos do mar maravilhoso preparados pelas tradicionais cozinheiras do Alípio que exalavam para o palco, e como seria esta acústica da casa na hora do show? 

O Baden acostumado a se apresentar em algumas das melhores casas de espetáculos do mundo como reagiria a realidade e estrutura do espaço? Meu Deus, foi uma grande expectativa. Ao chegar ao Pontal, o Baden Powell ficou maravilhado com tudo, principalmente com a beleza do Pontal, sua gastronomia, o Artesanato. Fez dois grandes espetáculos com casa lotada, e fomos os últimos a deixar o Alípio ao amanhecer. O Baden, quando estava retornando para o Hotel, nos confessara que nunca tinha se apresentado e um lugar tão encantador assim. Durante o dia, após o almoço, nossa programação de lazer com estes grandes artistas era leva-los para conhecer de perto, caminhando pela avenida principal do Pontal Alípio Barbosa da Silva (Rua das rendeiras). Era fascinante e cinematográfico ver as artesãs montando suas peças, no filé, colchas, caminho de mesa, bordados, rendas, labirinto, renascença com muitas opções de pontos com qualidade superior. 

Em quase 15 anos de existência do Projeto Onze e Meia levamos 99% destas atrações para comprar algo e prestigiar as artesãs do Pontal da Barra. Artistas como a cantora Joyce e seu esposo e músico Tuty Moreno, Moraes Moreira e Davi Moraes, Leny Andrade, Oswaldo Montenegro, o mult artista Saulo Laranjeira e seus respectivos empresários, como a Branca Ramil, irmã da dupla Kleiton e Kledir me falaram certa vez! “A grana que ganhamos do cachê do Marcus Assunção (Marcão) e a Fafá Rocha da Eventur´s´Ltda” deixamos em compras de artesanato do Pontal. kkkk.

O comentário deles era unanime tipo “O artesanato Alagoano é muito rico”. Até eu e a Fafá comprávamos sempre alguma coisa pra gente, ou para darmos de lembrança aos nossos parentes e amigos residentes em outros estados. Anos após tivemos a honra de conhecer esta pessoa maravilhosa, artesã e militante da cultura popular de Alagoas Mestra Vania Oliveira. Ficamos encantados por sua historia, seu currículo, seus trabalhos, suas ações e atuações a frente e luta pelo nosso rico artesanato Alagoano. Não deu outra: consultamos a nossa comissão técnica do Prêmio Selma Brito, de Cultura, desenvolvimento há quase 07 anos, no seu inicio, e a Sra. Vania Oliveira recebeu a honraria, em solenidade, após um maravilhoso Café regional da manhã, servido a todos os homenageados, a imprensa e grandes personalidades da nossa sociedade no fantástico Restaurante Bodega do Sertão, dos amigos e empresário Nado e Francineide, alguns dos maiores incentivadores culturais de Alagoas. 

Anos após, convidamos Dona Vânia e demais artesãs para montarem uma estrutura na estação CBTU, para comercializarem seus artesanatos para nossos clientes, parceiros e participantes do nosso Trem Corporativo do Forró Alagoano. Projeto junino existente há 18 anos. Lógico, sem cobrar nada delas. Acho que meus colegas de profissão de eventos poderiam disponibilizar um espaço para nossas artesãs. Também em seus eventos. Motivo de incentivo e a valorização do nosso rico artesanato Alagoano. 

O Artesanato está hoje em dia nos 04 cantos do mundo. E com destaque nas principais feiras de turismo, cobiçado por grandes estrelas da TV e das artes em geral, está em importantes boutiques famosas. Dona Vania é uma das nossas maiores referenciais do artesanato com tons de fitas coloridas da nossa cultura popular. É também um dos maiores espelhos deste grande sucesso. Com certeza ela é um dos maiores destaques e premiadas entre os mais de 14 mil artesãos cadastrados em Alagoas pelo PAB. (Programa do Artesanato Brasileiro).




Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade