Alagoas, 18 de junho de 2021 24º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Marcus Assunção
Opinião

Fique por Dentro

Por Marcus Assunção

Perfil Alagoas

Marcus Assunção

08/06/2021 15h03 - Atualizado em 08/06/2021 18h06

Zezito Araújo
DivulgaçãoZezito Araújo

Perfil Alagoas

Zezito Araújo


Sua vida é cheia de identidade que foram negadas desde que saiu do Quitunde. E Quitunde é sua primeira identidade afro-brasileira que lhe foi negada, sem falar nas identidades africanas.

Essa fala é o início de sua trajetória da África ao Brasil, na perspectiva da decolonial, ou seja, reconstruir sua história com outros olhares e escritas. Primeiro, não se considera um descendente de africano, porque este nome foi dado pelo colonizador branco, que ao invadir e submeter aquelas populações definiu que todas as pessoas que habitar-se ou habitou aquelas terras eram todas africanas, desconsiderando todos valores socioculturais e impondo os seus valores europeus. Segundo, também não é descendente de escravo ou de escravizados; descende sim, dos povos Ambundus, falante da língua Kimbundu, do subgrupo linguístico bantu, localizado na região central do atual Estado de Angola. Seus ancestrais vieram dessa região na condição de trabalhadores\as escravizados\as, trazendo consigo saberes que construíram o Estado de Alagoas: com conhecimentos de metalurgia, da agricultura, da medicina, da engenharia e arquitetura, da matemática, das artes etc.

Natural de São Luís do Quitunde, filho de Gercina Ana da Conceição e Raul Vital de Araújo, sétimo de 08 (oito) filhos nascidos em uma comunidade remanescente de quilombo, conhecida pelo nome de Cabaça de Porco, hoje Santa Cruz, em São Luís do Quitunde. Seus avós paternos: Vital Gomes de Araújo e Maria Santina da Conceição; avós maternos: Ana Maria da Conceição (Mãe Aninha) e Amaro Miguel. Ainda criança com 08 (oito) anos, mudou para Maceió, morando em um dos bairros mais tradicionais da cidade, Bebedouro. Estudou o ensino fundamental no Instituto de Educação e o médio na Escola Moreira e Silva no Cepa. Fez sua graduação e mestrado em História na Universidade Federal de Alagoas.

Desde sua juventude foi envolvido com movimento social. Sua primeira experiência foi no grêmio da Escola Estadual Instituto de Educação no Cepa, quando assumiu a vice-presidência do Grêmio, depois foi eleito vice-presidente do Conselho de Alunos do Cepa, entidade que representava os interesses dos estudantes que estudavam no Cepa.

Sua trajetória no movimento negro social começou ao concluir o curso superior de História do Brasil pela Universidade Federal de Alagoas em 1980. Na condição de docente do Curso de História da Universidade Federal de Alagoas\Ufal, iniciou seu ativismo nas questões negra no meio acadêmico e na sociedade alagoana, criando e presidindo a Associação Cultural Zumbi, primeiro movimento negro organizado em Alagoas, tendo como objetivo o combate a racismo.

No serviço público, além da função de professor, foi secretário de Estado da Secretaria de Defesa e Proteção das Minorias no período de 2001 a 2005; Superintendente do SOPROBEM (Serviço de Promoção do Bem-Estar Comunitário) de 2001 a 2002; Representante do Governo do Estado no Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial/ Presidência da República – 2003 – 2005.

Na vida acadêmica exerceu as seguintes funções: Diretor do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros da Universidade Federal de Alagoas – NEAB - 1983-2001; Conselheiro do Memorial Zumbi – 1980 – 1995; Conselheiro do Conselho de Ética da UFAL – 1997 – 2000; Coordenador e executor dos Estudos para o Tombamento da Serra da Barriga – 1984; Conselheiro da Fundação Municipal Cidade de Maceió – 1997 – 2000. Coordenador do Curso de História Cesmac – 2012 – 2015; Supervisor de Diversidades da Secretaria de Educação de Alagoas – 2016; Multiplicador e conferencista do Projeto Conhecendo nossa história: da África ao Brasil – Fundação Cultural Palmares – 2017. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas e Membro da Academia Alagoana de Educação de Alagoas.

Na escrita, escreveu publicações acerca da temática negra: Ações Afirmativas no Brasil.
In. O negro no mercado de trabalho. Brasília: Fundação Cultural Palmares/Minc, 2003; Dona Marinalva – Saberes e Fazeres. In. A presença negra em Alagoas \ Douglas Apratto, Jairo José Campos da Costa (Org.); Clébio Correia de Araújo et al. – Maceió: Viva Editora. 2014; Folclorização e significado cultural do negro. In. Kulé Kulé. Visibilidades negras. Neab/Ufal.- Org. Bruno César Cavalcanti, Clara Suassuna Fernandes e Rachel Rocha de Almeida Barros. Maceió: Edufal, 2006; O Negro e a Construção do Carnaval no Nordeste, Edufal, 2003; Serra da Barriga: exposição de motivos para o Tombamento da Serra da Barriga, Sergasa, 1987; A presença negra em Alagoas.
In. Educação e Diversidade: um diálogo necessário na educação básica. – Gilberto Geraldo Ferreira, Edson Hely Silva, José Ivamilson Silva Barbalho, (org) Maceió: Edufal, 2015; Quilombo dos Palmares: negociações e conflito. – Arapiraca: Cesmca\EDuneal, 2020.

Pelos serviços prestados a cultura e a educação em Alagoas, recebeu as Comendas: Ordem do Mérito dos Palmares – Cavaleiro
– 2005 – Governo do Estado de Alagoas; Comenda do Mérito Educativo Alagoano – 2009 – Conselho Estadual de Educação; Comenda Zumbi dos Palmares – 2012 – Câmara dos Vereadores de Maceió.

- Zezito de Araújo



MUNICÍPIOS:



SÃO MIGUEL DOS CAMPOS:


A Prefeitura de São Miguel dos Campos, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura, após realizar nos últimos meses o plantio na terra de dezenas de agricultores miguelenses, - participantes do Projeto Barriga Cheia -, começou a colher os grãos durante esta semana. O trabalho foi iniciado em março deste ano, a partir do preparo e do gradeamento da terra. Após a colheita total, os grãos servirão para mais de 100 famílias.


NOTÍCIAS: FIQUE POR DENTRO:



-BANCO PAN:

Após aprovar em massa mesmo para quem tem score baixo, Banco Pan- alcança 10 milhões de clientes; saiba como solicitar cartão sem comprovação de renda.


-FGTS EMERGENCIAL:

A Caixa Econômica Federal já começou a liberar o saque-aniversário do FGTS de 2021 para os beneficiários nascidos em janeiro. O banco informou que mais de 9,7 milhões de trabalhadores optaram por essa modalidade e poderão sacar o dinheiro de acordo com o calendário de pagamentos.


SAÚDE: 

Secretaria Municipal de Educação planeja retomada das aulas presenciais para agosto

Todos os trabalhadores da Educação de Maceió, incluindo profissionais da rede pública e privada, receberam a primeira dose contra a Covid 19. A vacinação deste grupo prioritário teve início no dia 14 de maio e desde então foram imunizados 18.892 servidores deste segmento.


MARAGOGI:
Prefeitura de Maragogi anunciou a ampliação da vacinação: A partir desta terça feira 08 de junho, as pessoas acima de 55 anos já poderão se vacinar em nosso município! Arrasta pro lado, confira os pontos de vacinação e compareça ao #imunizamaragogi.


INVESTIMENTOS:



O GOVERNO DO ESTADO:

O Governo do Estado vai investir, até o final do próximo ano, R$ 1 bilhão em obras de duplicação de rodovias em todas as regiões. No total, serão implantados 597 km. Isso representa um acréscimo de 1.890% na malha viária estadual, uma vez que, até 2015, Alagoas só havia duplicado acanhados 30 km. Seguindo em frente com o programa de expansão, o governador Renan Filho e o secretário de Estado do Transporte e Desenvolvimento Urbano, Mosart Amaral, assinaram, nesta segunda-feira (7), as ordens de serviço para a duplicação de mais dois trechos da AL-220: Arapiraca - Major Izidoro e Major Izidoro - Olho D’Água das Flores.


TURISMO:


Nova lei: turistas que se hospedarem em Porto de Pedras terão que pagar “taxa de turismo"

A Prefeitura de Porto de Pedras, no litoral Norte de Alagoas, criou uma “Taxa de Turismo Sustentável (TTS)”, a ser cobrada de todos os turistas que se hospedarem em pousadas, hotéis, resorts, alojamentos locais e similares localizados no município. A lei sancionada pelo prefeito Henrique Vilela foi publicada no Diário Oficial dos Municípios desta segunda-feira (7).



CULTURA:


ENCONTRO DOS POETAS:



Autora: Saysia Salomão
A porta



Era uma porta
de madeira escura,
passagem secreta.

Encontrei procurando sorrir,
todas as noites ela se abria
a felicidade passeava.

Nunca falei a ninguém,
medo de não ser real.
A imaginação prega peças
era um mundo só meu
onde pintava com a cor do dia,
ora cinza nevoeiro
ora vermelho paixão
ora cor calada.

Existiam os dias duais
Onde o preto e o branco se cruzavam
e existe a cor do eu sozinha.

A porta do mundo escondido se fechou
e as cores dormem.

Saysia Salomão.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade