Alagoas, 25 de novembro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
José Firmino Oliveira
Opinião

Blog do Firmino

Por José Firmino Oliveira
OPINIÃO

Senador Renan: Camaleão alagoano de sete vidas

José Firmino Oliveira

22/10/2020 15h03 - Atualizado em 22/10/2020 16h04

Calheiros detém mandato desde 1979, quando foi eleito Deputado Estadual de Alagoas
Agência BrasilCalheiros detém mandato desde 1979, quando foi eleito Deputado Estadual de Alagoas

A história política do senador Renan Calheiros (MDB), mostra que o velho político alagoano pode ser comparado a uma Iguana brasileira, lagarto também chamado de camaleão devido à sua habilidade de mudar de cor, de acordo com o ambiente em que esteja.

Calheiros detém mandato desde 1979, quando foi eleito Deputado Estadual de Alagoas, em 1983 se elegeu Deputado Federal, sendo reeleito e está no Senado desde 1995, quando assumiu o seu primeiro mandato. Atualmente cumpre o quarto mandato de senador, indo para 32 anos de Senado e quase 50 anos de mandato eletivo. 

Durante este período José Renan Vasconcelos Calheiros foi três vezes presidente do Senado e aliado de todos os Presidentes da República, inclusive Fernando Collor, a quem chamava de "príncipe herdeiro da corrupção", quando esse era prefeito de Maceió e Calheiros, Deputado Estadual em Alagoas.

Em face dessa sua facilidade de adaptação à mudança de comando na Presidência da República, certamente, cabe-lhe muito bem a comparação que se faz dele com o lagarto camaleão e essa comparação fica caracterizada e comprovada agora com a sua repentina aproximação ao Presidente Jair Messias Bolsonaro, de quem até pouco tempo era critico voraz.

Uma outra característica inerente ao senador Calheiros é seu instinto de preservação conseguindo, até a data presente, sair vivo politicamente, das acusações, inquéritos e processos a que tem respondido. As primeiras vidas politicas do velho senador, postas a prova, foram os casos “Renangate” e da jornalista Mônica Veloso e, de lá para cá muitos outros casos já vieram a tona, entretanto o Senador tem conseguido se livrar de todos, restando ainda alguns, mas, a exemplo dos demais, deverá sair deles livre, leve e solto.

NOTAS: 

ARAPIRACA ELEIÇÕES: Novela Luciano continua

A eleição para a chefia do Poder Executivo de Arapiraca, que está sendo comparada a uma novela, continua tendo a cada dia um novo e estimulante capitulo onde bonzinhos e vilões intercalam-se nos seus protagonismos, nas cenas dessa novela de péssimo enredo. Como se sabe, tem-se como atores principais dessa historieta, de um lado os Renan, pai e filho, e do outro Luciano Barbosa, afilhado político do velho cacique emedebista, que resolveu se libertar do seu jugo. A última cena registrada, até o fechamento desta coluna, foi o parecer dado pelo Representando do MP Eleitoral, no dia 21/10, pugnando pela rejeição dos argumentos do MDB, que quer ver Barbosa fora do pleito e opinando no sentido de que sua chapa deve ser registrada.

FREIRE X CALHEIROS: Diálogos frequentes

Tornando a candidatura de Luciano Barbosa um caso pessoal, o senador Renan Calheiros (MDB), trabalha em duas frentes para derrotar sua cria política, em Arapiraca. A primeira é judicial, onde Calheiros não está levando muita vantagem até o momento, e a outra é eleitoral, através do voto. Vendo Tarcizo Freire (PROGRESSISTA), mesmo abandonado pelo líder do seu partido, Deputado Artur Lira, mantem-se numa boa posição, em relação ao pleito de 15 de novembro, Renan vem mantendo com ele diálogo permanente, querendo transforma-lo numa eficiente ferramenta política para derrotar Barbosa nas urnas. 

PESSOA: Acha que dá para vencer

O deputado Federal Severino Pessoa (REPUBLICANOS), marido da Prefeita de Arapiraca Fabiana, candidata à reeleição, assegura que sua mulher vencerá o pleito de 15 de novembro se chegar na última semana do mesmo com 10 pontos percentuais de intenção de votos, atrás de Luciano. A confiança é grande e Pessoa está pondo fé na volatilidade do eleitor.

STF: Kassio novo Ministro (01)

Por 57 votos a 10, o Senado Federal aprovou, no último dia 21/10, a indicação do nome do Desembargador Kassio Nunes Marques, do TRF da 1ª Região, para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal. Marques indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga aberta com a aposentadoria do ministro Celso de Mello e deverá ocupar o cargo até os seus 75 anos de idade.

STF: Kassio novo Ministro (02)

Acusado de garantista, ao ser sabatinado o Novo Ministro respondeu: “O garantismo judicial nada mais é do que aquele perfil de julgador que garante as prerrogativas e direitos estabelecidos na Constituição”, declarou Marques. “Sim. Eu tenho esse perfil. O garantismo deve ser exaltado, porque todos os brasileiros merecem o direito de defesa.

STF: Kassio novo Ministro (03)

Sobre a Lava Jato: "Eu, pessoalmente, não tenho nada contra nenhuma operação que eu tenha notícia no Brasil, principalmente quando é conformada com esses elementos, participação do MP, Poder Judiciário e das polícias judiciais, ressalvando a competência do Poder Judiciário para promover os ajustes que se façam necessários se, numa eventualidade, houver o descumprimento da lei e da Constituição.

STF: Kassio novo Ministro (04)

Indagado sobre o Aborto, Marques respondeu: "Do meu lado pessoal, eu sou um defensor do direito à vida e tenho razões pessoais para isso." Já sobre armas o Ministro respondeu: "Tenho arma em casa, mas eu não ando armado. Meu perfil pessoal é daquele que a arma serve, a depender de cada circunstância, onde o cidadão mora, o nível de violência da cidade, para a proteção da sua residência. Mas não é uma posição jurídica. É uma posição pessoal."

banner

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade