Alagoas, 23 de setembro de 2019 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Saúde e Beleza
Opinião

AesCare

Por Saúde e Beleza
Atenção, fumantes!

Cigarro e plástica: conheça os riscos

Assessoria

23/08/2019 13h01 - Atualizado em 23/08/2019 13h01

É muito comum que um dos cuidados essenciais anteriores e posteriores à cirurgia plástica esteja relacionado ao tabaco.
Foto: DivulgaçãoÉ muito comum que um dos cuidados essenciais anteriores e posteriores à cirurgia plástica esteja relacionado ao tabaco.

É muito comum que um dos cuidados essenciais anteriores e posteriores à cirurgia plástica esteja relacionado ao tabaco.

Seguindo essa linha, existe um tempo em que você deve parar de fumar para garantir a saúde do seu organismo, algo que nem sempre é seguido à risca.

Tendo isso como base, conheça os riscos de fumar antes da cirurgia e outras informações vitais.

Quer saber mais? Vem comigo.

Quem fuma pode fazer cirurgia plástica?


Uma das principais questões quando o assunto são procedimentos estéticos e tabaco é a possibilidade de um conviver com o outro.

Via de regra, quem fuma pode fazer a cirurgia, desde que siga os cuidados e recomendações médicas que incluem o pré e pós-operatório.

Sendo justamente esse o problema.

Muitas das pessoas que fumam, não conseguem esperar o tempo determinado pelo médico e, como resultado, pode acontecer de a equipe cancelar a cirurgia.

Não é à toa que todos os tipos de cirurgias envolvem a internação algum tempo antes da realização do procedimento.

Geralmente, esse tempo é utilizado para a preparação do paciente, seja a aplicação da anestesia, confirmação de exames ou mesmo uma análise de questões burocráticas.

Uma das questões observadas anteriormente ao paciente entrar na sala de cirurgia se refere aquilo que você comeu ou ingeriu, incluindo substâncias.

Riscos de fumar antes da cirurgia


Ao contrário do que algumas pessoas acreditam, fazer uma cirurgia plástica não envolve apenas o jejum, mas o consumo de uma série de substancias e até bebidas.

Esse tipo de cuidado é pensando com foco na realização do que está por vir, envolvendo o corte do corpo, anestesia e possíveis efeitos colaterais.

Assim, fumar antes da cirurgia significa um risco não apenas ao resultado final, mas a saúde do paciente.

Tem termos simples, a nicotina, que é a principal substância do cigarro, é capaz de provocar a contração dos vasos de sangue.

Ao mesmo tempo, ocorre uma dificuldade na irrigação do sangue, bloqueando a chegada até os tecidos.

Fumar antes da cirurgia pode gerar a necrose de alguns tecidos, já que eles demoram mais para receber sangue, ou mesmo resultar em terríveis sangramentos bem como hemorragias.

Detalhe: algumas hemorragias não podem ser controladas, levando a morte do paciente.

Mas aí, você pode levantar a seguinte questão: “e depois da cirurgia, porque não posso fumar? ”.

Nesse caso, é preciso pensar um pouco mais além.

Ao realizar uma cirurgia plástica ou qualquer outro tipo de procedimento cirúrgico, o seu corpo sofre um tipo de choque devido aos cortes, força humana, retirada de gorduras/pele ou mesmo pela medicação, como anestesias e antibióticos.

Na prática, tudo isso se refere a algo que o corpo precisa se adaptar e refazer. Por isso existe o tempo de recuperação.

Entretanto, quando você fuma após a cirurgia, não respeitando o prazo dado pela equipe médica, todo o seu organismo acaba comprometido.

Quando isso ocorre, os riscos incluem:

Problemas na cicatrização da pele;
Necrose ou morte do tecido;
Redução da circulação sanguínea;
Abertura de pontos.

Um destaque de risco vai para a questão respiratória e a falta de colágeno.

Em um primeiro momento, a fumaça do cigarro prejudica a respiração, o que pode resultar em crises de tosse e abertura de pontos.

Em um segundo momento, a falta de oxigenação gerada pela nicotina reduz a produção de colágeno, o que podem levar a sua pele a ficar com marcas, como estrias.

Tempo mínimo que é preciso para parar de fumar e fazer uma cirurgia plástica – Recomendação médica


De acordo com diversos especialistas, o tempo mínimo pode variar de acordo com o procedimento bem como a saúde do paciente.

Mas, para se ter uma média, grande parte das cirurgias requer um tempo de 30 dias para parar de fumar antes da cirurgia e após.

Sendo assim, o total seria um prazo de 60 dias sem fumar, mais o tempo de internação e realização do procedimento.

“E se eu não parar de fumar? ”

Durante o recolhimento de dados, todos os riscos e recomendações são apresentados pelo médico e reforçados pela equipe, para que o paciente esteja ciente das condições.

Porém, dá para imaginar que não são todos que seguem exatamente o que foi falado.

Com base nisso, alguns médicos optam por cancelar a cirurgia e podem até se recusar a prática, quando consideram que o risco de morte para o paciente é muito alto.

Também existem médicos que seguem com o plano, o que não é recomendado.

Em todo caso, todos os pacientes que estão se preparando para uma cirurgia plástica assinam um Termo de Consentimento.

Nesse termo estão especificados os riscos da cirurgia e do tabagismo, que garante a segurança da equipe médica quando o paciente omitir dados e permite que cancelar a cirurgia não prejudique os profissionais.

Tabagismo e cicatrizes – Entenda a relação


Parar de fumar antes da cirurgia ou depois é um grande desafio para quem já faz isso há alguns anos.

Por isso, muitos médicos incentivam que o paciente comece com uma mudança de hábitos antes do procedimento, incluindo largar o cigarro.

É importante dizer que fumar não causa danos apenas aos pulmões, mas também causa o envelhecimento precoce.

No que diz respeito a cicatrização, o uso do tabaco prejudica e pode estender o tempo de repouso, já que facilita a abertura de pontos.

Outra questão são as cicatrizes, muito comuns nesses pacientes.

Devido ao tempo maior que o corpo com nicotina leva para cicatrizar, é possível que as marcas fiquem mais escurecidas ou esbranquiçadas.

Isso sem contar que a abertura de pontos gera mais cicatrizes, que podem ou não sumir com o passar do tempo.

Detalhe: em muitos casos, nem o uso de cremes podem resolver as cicatrizes decorridas de fumantes que fizeram cirurgias plásticas, sendo necessário novos procedimentos ou o convívio com as marcas.

Conclusão 

Em conclusão, fumar antes da cirurgia plástica ou após o procedimento pode resultar em uma série de problemas, incluindo a abertura do corte e marcas na pele.

Então, comece a mudar esse hábito e procure um profissional qualificado para avaliar o seu caso e encontrar o melhor momento para realizar o procedimento sem cancelar a cirurgia em cima da hora.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade