Alagoas, 16 de outubro de 2021 25º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CÂMARA DOS DEPUTADOS

Isnaldo Bulhões acusa Lira de criar cortina de fumaça com PL que muda ICMS

Líder do MDB na Câmara afirma que política econômica do governo Bolsonaro influenciam os preços

Bruno Fernandes

14/10/2021 16h04 - Atualizado em 14/10/2021 18h06

O deputado federal Isnaldo Bulhões (MDB-AL)
DivulgaçãoO deputado federal Isnaldo Bulhões (MDB-AL)

Líder do MDB na Câmara, o deputado Isnaldo Bulhões (AL) classificou como uma "cortina de fumaça", texto votado ontem que aprovou o PL que muda a cobrança do ICMS de combustíveis.

Para diminuir o preço ao consumidor, o Projeto de Lei Complementar 11/20 altera a base de cálculo, fixando um valor. Atualmente, o tributo é calculado a partir do preço médio, revisto a cada 15 dias de acordo com pesquisa de preços nos postos.

“O presidente da Câmara Arthur Lira e o líder do governo Ricardo Barros quebraram o acordo firmado em relação ao PLP 11/2020. O acordo seria votar o texto do PLP 105/21, que daria transparência ao consumidor”, acusou o deputado, autor do PLP 105.

Ainda segundo Bulhões, outros são os fatores que influenciam os preços de combustíveis. "Essa ação é uma verdadeira cortina de fumaça. O primeiro é a política econômica do governo Bolsonaro, que desvaloriza cada vez mais o real e provoca o descontrole da inflação. O outro fator é a política da Petrobras, que tem o Estado seu maior acionista”. Isnaldo Bulhões.

O projeto em questão ainda precisa passar pelo Senado e ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para entrar em vigor.

A Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estados (Febrafite) estima uma perda para os Estados de R$ 24 bilhões em arrecadação.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade