Alagoas, 16 de abril de 2021 24º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
POLÍTICA

MP investiga empréstimo do BRB para Flávio Bolsonaro comprar mansão

Poder 360

06/04/2021 08h08

Imóvel comprado pelo senador Flávio Bolsonaro tem 936 m² de área construída e 2.400 m² no total
Agência BrasilImóvel comprado pelo senador Flávio Bolsonaro tem 936 m² de área construída e 2.400 m² no total

O MP-DF (Ministério Público do Distrito Federal) abriu procedimento para apurar o empréstimo concedido pelo BRB (Banco de Brasília), instituição ligada ao governo distrital, ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). O banco financiou parte da compra de uma mansão de R$ 5,97 milhões em Brasília.

O imóvel tem 936 m² de área construída e 2.400 m² no total, segundo a escritura. O Poder360 teve acesso ao documento, que registra a aquisição da casa por Flávio e sua mulher, Fernanda Antunes Bolsonaro.

Segundo a Folha de S.Paulo, o caso será investigado pela Prodep (Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social). O órgão vai apurar se o empréstimo foi concedido fora das condições normais do banco para qualquer pessoa.

A entrada foi de R$ 2,87 milhões. Os R$ 3,1 milhões restantes foram financiados em 360 meses pelo BRB, com taxa de juros nominal de 3,65% ao ano. O valor é abaixo da inflação, que ficou em 4,52% em 2020.

De acordo com a escritura, o valor a ser pago mensalmente é de R$ 18.040,27. O senador tem renda fixa declarada de R$ 28.307,68, e sua mulher, de R$ 8.650. A prestação consumiria 49% dos rendimentos do casal.

O valor somado das rendas de Flávio e da mulher (R$ 36.957,68) é menor que o mínimo exigido pelo banco para a aprovação de financiamentos nessas condições. De acordo com o simulador disponível no site do BRB, seria necessária renda mensal de, pelo menos, R$ 46.401,25.

O procedimento do MP-DF foi aberto em 18 de março, depois que o deputado Ivan Valente (Psol-SP) entrou com representação na ouvidoria do órgão. A promotoria ainda está reunindo informações sobre o caso.

Em vídeo publicado no Facebook em 2 de março, o senador Flávio Bolsonaro negou irregularidades. “Eu vendi um imóvel que eu tinha no Rio de Janeiro, vendi uma franquia que possuía, também no Rio de Janeiro, e dei entrada numa casa aqui em Brasília. E a maior parte do valor dessa casa está sendo financiada com o banco com uma taxa que foi aprovada conforme o rendimento familiar, como qualquer pessoa no Brasil pode fazer”, declarou Flávio.

A assessoria do senador confirmou ao Poder360 que a franquia que ele vendeu no Rio de Janeiro foi a da Kopenhagen, que é alvo de investigação do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) pela suspeita de ter sido utilizada para lavagem de dinheiro obtido a partir de um esquema de “rachadinha”.

Em nota, o BRB declarou que as taxas de juros praticadas pelo banco estão disponíveis a todos os clientes, “conforme análise de risco de crédito”.

“O financiamento mencionado pela reportagem diz respeito a uma operação de crédito tradicional do BRB, cujas condições são disponibilizadas a todos os seus clientes. Conforme já divulgado pela imprensa, 87% dos clientes que contrataram operação semelhante tiveram acesso a taxas inferiores à praticada”, disse o banco.

A concessão de qualquer operação de crédito, afirmou o BRB, “segue padrões e normas bancárias e se fundamenta em documentos e informações fornecidos pelos clientes e/ou em informações de mercado disponíveis sobre os clientes”.

De acordo com o banco, “todas as operações de crédito imobiliário no banco são submetidas a avaliação e consideram renda individual ou composição de renda, seguindo práticas do mercado bancário brasileiro”.


Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade