Alagoas, 11 de dezembro de 2019 25º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
IMPASSES

Bolsonaro diz que aguardará gestões de Guedes com EUA para decidir se telefona para Trump

Reuters

03/12/2019 10h10

Donald Trump e Jair Bolsonaro
DivulgaçãoDonald Trump e Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse que vai aguardar as gestões que o ministro da Economia, Paulo Guedes, está fazendo junto às autoridades dos Estados Unidos para então decidir se telefonará para o presidente dos EUA, Donald Trump, após ele anunciar no Twitter nesta segunda-feira que elevará tarifas sobre o aço e o alumínio que o Brasil vende ao país.

“Paulo Guedes está entrando em contato com o governo americano, com seus correspondentes, para tratar deste assunto. Em última análise... eu ligarei para o presidente Trump”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Record.

“Sabemos que tem eleições ano que vem, isso faz parte da sua estratégia política, mas somos um grande parceiro. Acreditamos que dá para solucionar essa questão”, acrescentou o presidente, referindo-se à eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos, quando Trump buscará a reeleição.

Mais cedo, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, já havia dito que Bolsonaro vai avaliar a conveniência de telefonar para Trump.

Segundo o porta-voz, Bolsonaro determinou aos ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura que adotem medidas necessárias a fim de trazer uma solução para o assunto “que atenda os interesses dos dois países”.

“Não temos a profundidade devida para tomarmos uma solução de pronto”, disse Rêgo Barros, ao destacar ser “óbvio” que o presidente acompanha o tema com “muito interesse” por ser fator importante para a balança comercial brasileira.

Durante o briefing à imprensa no Palácio do Planalto, o porta-voz disse que seria “intempestivo” da parte de Bolsonaro, ainda sem ter conhecimento de todos os dados, de realizar uma ligação para Trump para discutir a questão da sobretaxa dos minérios.

Ainda assim, segundo Rêgo Barros, Bolsonaro entende que a medida tomada pelos Estados é “unilateral”, mas ele tem a oportunidade de falar direto com o presidente dos Estados Unidos.

Por ora, repetindo discurso anterior de outras autoridades brasileiras, o porta-voz disse que a conversa sobre o tema está em nível técnico. Ele exemplificou que se deve falar sobre a valorização ou sobrevalorização do real frente ao dólar.

Trump justificou a retomada da taxação de aço e alumínio do Brasil e da Argentina pelo fato de, segundo ele, os dois países estarem promovendo uma “forte desvalorização” de suas moedas.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade