Alagoas, 23 de janeiro de 2022 25º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Corrupção

Pressão para não atrasar julgamento do mensalão incomoda Lewandowski

A pressão é para que o julgamento comece no dia 1° de agosto, mas o ministro Lewandowski reclamou. O tom da resposta deixou claro que ele não gostou de ser cobrado

G1, Bom dia Brasil

26/06/2012 10h10

Pressão para não atrasar julgamento do mensalão incomoda Lewandowski

Nesta segunda-feira (26), o ministro responsável pela revisão do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal foi cobrado. A pressão para evitar novos atrasos causou constrangimento. A pressão é para que o julgamento comece no dia 1° de agosto, mas o ministroRicardo Lewandowski reclamou. O tom da resposta deixou claro que ele não gostou de ser cobrado. Disse que ficou surpreso e que nunca atrasou ou antecipou julgamentos de nenhum processo, em 22 anos de magistratura.

Lembrado pelo presidente do tribunal, ministro Carlos Ayres Britto, sobre a necessidade de concluir o trabalho de revisão do relatório do mensalão até segunda-feira (25), o ministro Ricardo Lewandowski disse que ficou surpreso com a informação.

Em um ofício, o ministro respondeu ao presidente que o Plenário do Supremo aprovou o cronograma de julgamento da ação sob a condição de ele, o revisor, liberar o processo até o final de junho. E que vai concluir o voto-revisor até o final de junho.
Ainda afirmou que sempre teve como princípio fundamental não retardar, nem precipitar o julgamento de nenhum processo.

Na revisão, o ministro Lewandowski analisa o relatório do ministro Joaquim Barbosa. Pode fazer correções ou complementos. Depois disso, começa a contar um prazo, previsto no regimento e em lei, para o julgamento em Plenário. Como em julho o judiciário entra em recesso, esse prazo teria que ser concluído até a próxima sexta-feira (29).

O ministro Lewandowski não gostou da cobrança do presidente Ayres Britto. Já havia dito aos mais próximos que ficou chateado porque não foi consultado sobre a data de início do julgamento e nem estava na reunião em que o cronograma foi aprovado. Se a revisão só for liberada na sexta-feira, o começo do julgamento do mensalão poderá atrasar.

Ainda no ofício enviado ao presidente do Supremo, o ministro Ricardo Lewandowski argumentou que é possível manter o cronograma, já que os ministros do Supremo têm a última palavra na interpretação do regimento.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade