Alagoas, 28 de janeiro de 2022 24º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Fingindo inocência

Com apoio da base aliada, Ideli volta a negar irregularidades durante gestão no Ministério da Pesca

Líderes dos principais partidos da base, como o do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN) e do PT, Jilmar Tatto (SP), acompanham a sessão em apoio à ministra

Agência Brasil

16/05/2012 13h01

Com apoio da base aliada, Ideli volta a negar irregularidades durante gestão no Ministério da Pesca

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, voltou a negar hoje (16) envolvimento na compra de 28 lanchas por parte do Ministério da Pesca e Aquicultura. Em depoimento na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, a ministra reiterou ainda não ter ligação com os proprietários da empresa Intech Boating, fabricante das lanchas, e que contribuiu com recursos para a campanha do PT em Santa Catarina nas eleições de 2010, quando Ideli concorreu ao governo do estado.

Diferentemente do dia em que foi aprovado o requerimento de convocação da ministra, hoje o plenário da Comissão de Fiscalização e Controle está lotado desde o início da reunião, principalmente por parlamentares da base de sustentação do governo. Líderes dos principais partidos da base, como o do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN) e do PT, Jilmar Tatto (SP), acompanham a sessão em apoio à ministra.

Perguntada pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), autor do requerimento de convocação, sobre os pagamentos feitos pelo ministério durante a gestão dela, Ideli disse que apenas os autorizou, já que não havia, na ocasião, nenhum questionamento sobre o contrato. “Só posso dizer, com absoluta tranquilidade, que tomei conhecimento do contrato [da compra das lanchas] quando assumi o ministério. Em relação aos pagamentos efetuados, não assinei, não contratei, não licitei, mas paguei porque obrigada era”, disse a ministra.

Ideli voltou a negar envolvimento com os proprietários da empresa Intech Boating. “Não tenho relação nenhuma, nem pessoal, de conhecimento, não sei o nome de cor, não faz parte das minhas relações. Lembro de uma vez que estive com o proprietário. Uma vez porque foi no período em que estava à frente do ministério e entreguei uma das lanchas à Polícia Federal (PF) para trabalhar na fiscalização do litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.”

Sobre a doação da empresa ao PT de Santa Catarina, Ideli disse que nem ela nem ninguém do comitê da campanha tiveram participação e que a doação foi legal. “Não tive qualquer conhecimento do pedido. Tanto que a contribuição foi feita ao Comitê Financeiro do Partido dos Trabalhadores. Não há contribuição para a minha campanha. Foi uma doação dentro da legalidade.”

A ministra disse ainda que no período de cinco meses em que esteve à frente do Ministério da Pesca entregou uma das lanchas para uso da PF e encaminhou o processo para que mais 13 fossem encaminhas a outros órgãos de fiscalização.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade