Alagoas, 14 de agosto de 2020 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
No xadrez

Carlinhos Cachoeira está no presídio da Papuda, em Brasília, diz Depen

Segundo o Departamento Penitenciário Nacional, ele chegou às 8h30. Cachoeira foi transferido do presídio de segurança máxima de Mossoró (RN)

Do G1, em Brasília

18/04/2012 11h11

Carlinhos Cachoeira está no presídio da Papuda, em Brasília, diz Depen

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen), subordinado ao Minstério da Justiça, informou nesta quarta-feira (18) que o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, está desde as 8h30 no presídio da Papuda, em Brasília. Cachoeira foi transferido do presídio de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Conforme o Depen, Cachoeira chegou em Brasília em um voo proveniente de Fortaleza e depois foi encaminhado para a Papuda em um carro da Polícia Federal. Informações iniciais davam conta de que o contraventor chegaria em Brasília por volta das 10h, mas o horário teria sido divulgado para despistar a imprensa.

Cachoeira foi preso pela PF na Operação Monte Carlo no fim de fevereiro e acusado de comandar uma quadrilha que explorava o jogo ilegal. Ele foi transferido dias depois para Mossoró.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Cachoeira está em uma área especial da PF, não por ter regalias, mas sim por ser um preso sob responsabilidade de autoridades federais. Não há uma definição sobre o tipo de cela em que o bicheiro ficará, mas, segundo a secretaria, ele deve ficar em uma cela comum, junto com outros presos.

A transferência de presídios ocorreu por determinação do desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Fernando da Costa Tourinho Neto, proferida nesta segunda-feira (16). Segundo o desembargador, a prisão de Cachoeira no regime de segurança máxima não se justificava, uma vez que o bicheiro não representa alto risco para sociedade nem cometeu crime hediondo.

O primeiro pedido de transferência, feito à Justiça Federal de Goiás, foi negado e a defesa do bicheiro recorreu ao TRF-1. A defesa do bicheiro pediu a remoção para que Cachoeira fosse submetido a regras menos rigorosas de segurança e para que ficasse mais próximo da família e dos advogados.

Criação da CPI
Os funcionários da Câmara e do Senado devem se concentrar nesta quarta-feira naconferência de assinaturas para confirmar o apoio dos parlamentares para a criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que irá investigar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos, autoridades e empresários. A verificação antecede a leitura do pedido de criação, que autoriza a formação da CPI.

A expectativa é que a leitura do requerimento pela presidente em exercício do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), aconteça nesta quinta-feira (19). Se isso ocorrer, a comissão já poderá começar a funcionar na semana que vem.

Na noite desta terça (17), os líderes partidários protocolaram o pedido de criação com assinaturas de 67 senadores e de 330 deputados federais. Eram necessárias, no mínimo, 27 assinaturas no Senado e 171 na Câmara. Até a leitura do requerimento, o parlamentar que quiser pode retirar a assinatura, e quem não assinou, poderá aderir.

Depois de lido o requerimento, os partidos terão cinco dias para indicar os integrantes da comissão - 15 deputados e 15 senadores, com igual número de suplentes.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade