Alagoas, 20 de setembro de 2020 22º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Saidera

Hillary Clinton se reúne com Dilma no último dia da visita oficial ao Brasil

Na visita a Brasília, secretária de estado americana deixou claro o interesse dos EUA em participar da exploração de petróleo no pré-sal

G1, Bom dia Brasil

17/04/2012 09h09

Hillary Clinton se reúne com Dilma no último dia da visita oficial ao Brasil

A secretária de estado americana, Hillary Clinton, encerra nesta terça-feira (17) a visita de dois dias ao Brasil com um encontro com a presidente Dilma Roussef.

Mais facilidades para conceder o visto de entrada nos Estados Unidos é o que promete o governo americano, que diz que os brasileiros são bem-vindos por lá. O conselheiro da embaixada disse que ainda vai levar tempo, muita conversa e muitos acordos até que o visto deixe de ser uma exigência.

Na visita a Brasília, Hillary Clinton deixou claro o interesse dos Estados Unidos em participar da exploração de petróleo na camada de pré-sal. Afirmou que o Brasil está fazendo algo que é complicado, difícil e caro, e que empresas petrolíferas americanas podem se associar à Petrobras.

Ao responder a pergunta de um jornalista se os Estados Unidos apoiariam a candidatura do Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas, Hillary Clinton evitou um apoio formal, mas disse que acha difícil imaginar um futuro Conselho de Segurança da ONU sem incluir um país como o Brasil.

A secretária de Estado americana afirmou que os Estados Unidos querem ações concretas para diminuir a violência na Síria e vão continuar pressionando até que haja transparência nas questões nucleares no Irã.

O ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, disse que o Brasil acredita no diálogo. “O Brasil sempre vai favorecer os processos pacíficos. Nos preocupamos com as possibilidades de consideração de ação militar contra o Irã, receita criminalidade imprevisível e apoiamos esforços diplomáticos”, afirma.

Hillary Clinton também se reuniu com um grupo de 150 empresários. Elogiou a política econômica do governo brasileiro e disse que só com investimentos em inovação e tecnologia, Brasil e Estados Unidos vão se proteger da crise econômica. E disse que os dois países poderão fechar um acordo de livre comércio no futuro.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade