Alagoas, 28 de janeiro de 2022 24º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
2014

Marco Maia, interino na Presidência, articulou e conseguiu

Os deputados prometem votar nesta quarta-feira (28) a Lei Geral da Copa

G1, Bom dia Brasil

28/03/2012 09h09

Marco Maia, interino na Presidência, articulou e conseguiu

Um acordo no Congresso pode finalmente facilitar a aprovação da Lei Geral da Copa. A expectativa é de votação nesta quarta-feira na Câmara dos Deputados. Esse acordo saiu durante as ausências da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer.

 

O deputado Marco Maia, interino na Presidência, não ficou apenas na formalidade, na liturgia do cargo. Foi à luta, conversou muito, abriu a agenda, articulou e conseguiu. Os deputados prometem votar nesta quarta-feira (28) a Lei Geral da Copa.

 

Nem o líder do PT, o deputado Jilmar Tatto, acreditava que seria possível fechar um acordo logo agora, com a presidente Dilma fora do país. “Não há consenso o Código Florestal, nem para votar a Lei Geral”, disse o deputado.

 

Mas o presidente da República em exercício, o deputado Marco Maia, conversou com todo mundo: líderes da oposição, do governo, ruralistas, representantes de sindicatos. “É nosso papel tentar contribuir para que este diálogo, para que esta negociação possa acontecer da forma mais tranquila, mais transparente possível. E que se chegue a um bom termo para permitir que, por exemplo, projetos como a Lei Geral da Copa possam ser votados o mais rapidamente possível”, afirmou o deputado.

 

E foi rápido mesmo. No fim do dia, saiu o acordo para votar duas propostas importantes para o governo e que se arrastavam na Câmara. O presidente Marco Maia prometeu colocar o Código Florestal em votação até o fim de abril. Aí, partidos governistas e da oposição aceitaram votar já nesta quarta-feira a Lei Geral da Copa.

 

A polêmica sobre a venda de bebidas alcoólicas nos estádios deve ser resolvida em plenário. E a oposição deixou claro que o acordo é um recado ao Palácio do Planalto. “A agenda do Parlamento é do próprio Parlamento, e não do Executivo. A viagem da presidente tirou a tensão politicamente dessas relações e permitiu um acordo que foi bom para o Brasil”, defendeu deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), líder do partido.

 

O governo sempre quis votar o Código Florestal antes da Rio + 20 que acontece em junho. Parece que agora vai. O grande medo, que continua, é que o texto não saia exatamente como o desejado pelo Palácio do Planalto.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade