Alagoas, 28 de janeiro de 2022 24º min 31º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Parceria

Governo e CPT se reúnem para viabilizar reivindicações

Liberação de sementes, construção de casas de farinha e apoio à confecção do livro da CPT foram discutidos

Assessoria

26/03/2012 10h10

O Governo do Estado de Alagoas e a Comissão Pastoral da Terra (CPT/AL) se reuniram na última sexta-feira (23) para discutir e viabilizar algumas reivindicações da instituição. A primeira parte da reunião foi presidida pelo secretário-chefe do Gabinete Civil, Álvaro Machado, e contou com a presença dos secretários de Agricultura e Articulação Social Jorge Dantas e Claudionor Araújo, além de representantes do Instituto de Terras e Reforma Agrária (Iteral), do Serviço de Engenharia do Estado de Alagoas (Serveal), do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

 

Dos 13 pontos da pauta, seis foram discutidos diretamente com o secretário-chefe do Gabinete Civil. Um deles refere-se ao apoio na publicação do livro da CPT/AL. Álvaro Machado deixou claro que é de interesse do Governo apoiar “a divulgação da história de um movimento tão importante”, enfatizando que só está esperando a entrega da boneca do livro para entrar em contato com a Imprensa Oficial. “Um trabalho parecido já foi feito com o Movimento Sem-Terra (MST)”, pontuou.

 

Também foi discutida a viabilização de sementes e de pescado para alguns assentamentos. Segundo Inês Pacheco, superintendente de fortalecimento a agricultura familiar da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), já estão liberados, somente para a CPT, 16 mil kg de semente básica, faltando apenas a instituição indicar os locais de distribuição. “Além disso, estamos disponibilizando uma batedeira de cereais, uma balança de 300 kg e uma peneira vibratória, que estão armazenadas no município de Santana do Ipanema”, conclui.

 

Quanto à reivindicação do pescado, que era de 50 mil alevinos de tilápia, Álvaro Machado sugeriu, em nome da Secretaria de Estado da Pesca e Aquicultura (Sepaq), que o tambaqui, peixe muito mais adaptável, substituísse a tilápia, para que o Governo consiga viabilizar esse item de forma muito mais célere. A sugestão foi complementada por Jorge Dantas, que afirmou ser uma solução tentar incluir a CPT no Programa Alagoas Mais Peixe.

 

O último ponto da pauta referente ao Gabinete Civil foi a construção de casas de farinha em assentamentos de Igaci, Água Branca e Porto de Pedras. Quanto a isso, a Serveal apresentou um projeto que está sendo finalizado, no prazo de 60 dias, para ser 100% sustentável.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade