Alagoas, 17 de outubro de 2019 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Balanço

Em mensagem de final de ano, Dilma diz estar 'longe de se sentir satisfeita'

Sobre a crise, ela disse que país entra em 'período de décadas de avanço'

G1

25/12/2011 10h10

Em mensagem de final de ano, Dilma diz estar 'longe de se sentir satisfeita'

Em pronunciamento exibido em cadeia nacional de rádio e TV nesta sexta-feira (23), a presidente da República, Dilma Rousseff, fez um balanço de seu primeiro ano de governo, se concentrando em medidas econômicas contra a crise e programas sociais. Ainda assim, no início da fala, disse que ela está "longe de se sentir satisfeita" com a atual situação do país.

Ela afirmou que a maioria dos brasileiros poderá dizer que "apesar das dificuldades, graças a Deus, esse foi um ano bom e com certeza, o próximo será ainda melhor". "Igual a cada um de vocês, ainda estou longe de me sentir satisfeita, mas tenho cada vez mais convicção de que podemos e vamos avançar muito mais", declarou.

Grande parte da mensagem de final de ano foi dedicada à crise internacional. Dilma disse que atualmente parte do mundo "estagnou" e o Brasil "acelera". "Vamos enfrentar todos os desafios para que uma possível piora no cenário mundial não nos traga maiores problemas", afirmou.

Ela disse que "ficou longe no tempo aquela fase que foi chamada de década perdida" e que o país está entrando em um "período de décadas de avanço".

"No ano em que grandes potências mundiais estão tendo crescimento negativo ou igual a zero, nós vamos ter um bom crescimento porque ele está acompanhado de inflação baixa, juros descendentes, aumento do emprego, distribuição de renda e diminuição de desigualdade".

Em meio à fala sobre a economia, ela disse que "2011 foi um ano de grande prova e 2012 será mais um marco de consolidação do modelo brasileiro".

Dilma afirmou que está abrindo o ano de 2012 com "forte" aumento do salário mínimo. Mais cedo, ela assinou o decreto que fixa em R$ 622 o valor do salário mínimo a partir de 1º de janeiro de 2012.

Além do reajuste do mínimo, a presidente citou medidas tomadas contra a crise, como redução de impostos, retomada do crédito e o aumento de investimento acompanhado de estabilidade fiscal.

A presidente mencionou brevemente ainda o que chamou de "luta incessante contra a corrupção". Neste ano, seis ministros deixaram o cargo após denúncias de supostas irregularidades. "Teremos força também para continuar a luta incessante contra a corrupção e qualquer tipo de desvio ou malfeito", disse.

Programas sociais

A presidente fez um balanço dos principais programas lançados pelo governo neste ano, como o Minha casa Minha Vida 2 que, segundo ela, vai investir R$ 125 bilhões até 2014 em financiamentos de habitação. "Milhões e milhões de famílias pobres de e classe media [estão] realizando o sonho da casa própria".

Dilma mencionou o programa Brasil Maior para dizer que "2012 começará com menos tributos para as mais de 5 milhões de pequenas empresas que estão nos simples e microempreendedores individuais".

O principal programa social do governo foi citado também, o Brasil sem Miséria, o qual, afirmou, "vai se consolidar plenamente em 2012". A intenção do governo é retirar da miséria 16 milhões de brasileiros que vivem na pobreza absoluta.

Outros programas foram mencionados, como Melhor em Casa e SOS Emergência – ambos da área de saúde, o Viver sem Limites, voltado para brasileiros com deficiência física ou psicológica e o Pronatec, de incentivo ao ensino técnico.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade