Alagoas, 20 de junho de 2021 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
SEU BOLSO

Preços do ovo, carne e feijão puxam alta dos gastos nos supermercados

R7

10/06/2021 11h11

Preço do ovo registrou a maior alta, de 11,43%, nos supermercados de janeiro a abril
DivulgaçãoPreço do ovo registrou a maior alta, de 11,43%, nos supermercados de janeiro a abril

Os preços do ovo, feijão e carne foram os que mais impactaram no custo das compras dos supermercados no primerio quadrimestre de 2021. É o que aponta o Abramercado (Índice Nacional de Consumo dos Lares Brasileiros) divulgado nesta quinta-feira (10) pela Abras (Associação brasileira dos Supermercados).

De janeiro a abril, nove produtos sofreram alteração expressiva nos preços. Confira as principais altas e baixas do período:

Alta:


• Ovo (11,43%)• Carne dianteira (6.32%)• Feijão (5,02%)• Carne traseira (2,47%)

Baixa:


• Pernil (8,91%)• Leite longa vida (4,46%)• Óleo de soja (3,60%)• Arroz (2,65%)• Frango (0,96%)

Márcio Milan, vice-presidente institucional da Abras, diz que o que se percebe é que o consumidor está mais atento aos preços e vêm substituindo alimentos para economizar. "Os supermercados também vêm fazendo promoções e ofertas para ajudar o consumidor", diz.

A volta do auxílio emergencial se refletiu no resultado do primeiro quadrimestre do INC Abras, índice nacional de consumo nos lares, da associação dos supermercados, que sai nesta quinta, 10, com crescimento real superior a 4%.

Na comparação de abril com o mesmo mês de 2020, a alta ficou em quase 3%. Quando a comparação é feita com o mês anterior, aparece uma queda de 4,8%, que a Abras atribui ao retorno para o trabalho presencial de parte dos consumidores, que substituíram compras por consumo em restaurantes.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade