Alagoas, 05 de agosto de 2020 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
COVID-19

Japão compra 120 milhões de doses de vacina contra coronavírus

Com G1

31/07/2020 16h04 - Atualizado em 31/07/2020 16h04

Foto ilustrativa de seringa com vacina contra o coronavírus
Agência BrasilFoto ilustrativa de seringa com vacina contra o coronavírus

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a empresa de biotecnológia BioNTech anunciaram nesta sexta-feira, 31, que vão fornecer 120 milhões de doses de sua vacina experimental contra o novo coronavírus ao Japão na primeira metade de 2021.

As empresas não divulgaram os detalhes financeiros do acordo, mas disseram que os termos se basearam no volume das doses e no cronograma de entrega, de acordo com a Reuters.

Os Estados Unidos assinaram um acordo semelhante com a Pfizer e a BioNtech para receberem 100 milhões de doses por quase 2 bilhões de dólares, o que equivale a um preço de 39 dólares pelo que provavelmente será um tratamento de duas doses.

A BioNTech e a Pfizer iniciaram um grande teste de estágio avançado de sua candidata a vacina para demonstrar sua eficiência. Um artigo publicado na segunda-feira, 20, como prévia (pré-print), apontou que a substância é segura e capaz de induzir resposta imunológica.

Os resultados ainda têm que ser validados por outros pesquisadores (peer-review) antes de serem publicados em uma revista científica. Eles dão conta de um teste de pequeno alcance, feito na Alemanha, com 60 voluntários saudáveis.

Ainda não existem vacinas contra a covid-19, uma doença que já matou 670 mil pessoas e teve forte impacto nas economias. Atualmente, existem mais de 160 vacinas em estágios diferentes de desenvolvimento contra o vírus, que continua se disseminando com rapidez. 

Corrida em busca da vacina

O balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) ao menos nove países que desenvolvem uma vacina para o Sars-Cov-2 já testam em humanos. Porém, apenas o Reino Unido, a China e os Estados Unidos chegaram à terceira e última etapa.

Segundo a agência de saúde da ONU, até segunda, 27, são 164 pesquisas em desenvolvimento. Destas, 25 já em estágio clínico mas apenas cinco na Fase 3. É somente depois desta prova, em um número maior de participantes, que uma vacina pode ou não ser licenciada e liberada para a comercialização. 

Veja quais são:

Sinovac (China)
Instituto Biológico de Wuhan/Sinopharm (China)
Instituto Biológico de Pequim/Sinopharm (China)
Oxford/AstraZeneca (Reino Unido)
Moderna/NIAID (EUA)

Além desses países, a Índia é responsável por mais três candidatas nas fases 1 e 2. A Austrália e a Alemanha têm mais duas promissoras vacinas ainda em estágios iniciais dos ensaios, assim como a Rússia e o Japão, com uma cada, segundo a OMS.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade