Alagoas, 13 de dezembro de 2019 24º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
MEIO AMBIENTE

Isnaldo Bulhões presidirá CPI sobre óleo nas praias do Nordeste

Bruno Fernandes

20/11/2019 15h03

O deputado Isnaldo Bulhões (MDB-AL)
DivulgaçãoO deputado Isnaldo Bulhões (MDB-AL)

Rodrigo Maia deve indicar o deputado Isnaldo Bulhões (MDB-AL), como presidente da CPI sobre o vazamento de óleo que poluiu as praias do Nordeste e do Espírito Santo. As informações são do site Crusoé.

Ao menos 675 pontos do litoral brasileiro já foram atingidos pelas manchas de óleo de origem desconhecida que, desde o fim de agosto, se espalhou por toda a costa da região Nordeste e pelo litoral norte do Espírito Santo.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), as 675 áreas afetadas pela substância poluente estão espalhadas por 116 municípios de dez estados: nove da região Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) e um da região Sudeste (Espírito Santo).

O professor Humberto Barbosa, do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), afirmou na segunda-feira, 18, ao EXTRA, que uma embarcação de origem asiática é responsável pelo derramamento de petróleo cru na costa nordestina.

Segundo o especialista da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), instituição da qual o Lapis faz parte, o navio carregado de petróleo venezuelano presta serviços para dois países asiáticos ao mesmo tempo. No entanto, Barbosa não revelou a nacionalidade específica.

"Já temos o nome e as rotas, mas só vou divulgar caso eu seja perguntado durante a audiência que será realizada na quarta-feira, 20, no Senado Federal", explicou. Ao todo, cerca de 111 rotas foram analisadas.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade