Alagoas, 19 de janeiro de 2020 26º min 29º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Política

Ministra chama Dilma de 'presidenta Lula'

Ministra do Planejamento estava respondendo a pergunta sobre concursos. Ela foi alertada pelo ministro Mantega sobre o erro e depois se corrigiu

Do G1, em Brasília

21/02/2014 07h07

Ministra chama Dilma de 'presidenta Lula'

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, protagonizou um momento inusitado nesta quinta-feira (20) durante a entrevista do anúncio do corte de R$ 44 bilhões no orçamento deste ano, em Brasília, ao se confundir e chamar a presidenta Dilma Rousseff de "presidenta Lula".

Ao ser questionada por jornalistas sobre os concursos públicos previstos para este ano, Belchior respondeu: "Já fizemos uma proposta bastante enxuta [de concurso] e espero que ao final do primeiro mandato da presidenta Lula o saldo seja positivo, mesmo atravessando um ano eleitoral que é mais restrito".

Em seguida, foi alertada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que estava ao seu lado na entrevista, e pediu desculpas pelo erro cometido.

No evento, Miriam Belchior afirmou também queparte dos concursos previstos para este ano podem atrasar por causa do ano eleitoral. "Só é possível nomear homologados até 5 de julho. Os concursos precisam estar homologados. Se não, só podem ser contratados até 2015."

O governo também anunciou nesta quinta-feira que o objetivo de superávit primário deste ano, que é a economia feita para pagar os juros da dívida pública e evitar o seu aumento, foi fixado em 1,9% do PIB para todo o setor público consolidado (que engloba União, estados, municípios e empresas estatais) – o equivalente a R$ 99 bilhões. O valor ficou abaixo dos 2,1% do PIB anunciados na proposta de orçamento de 2014, divulgada no ano passado.

Por meio do decreto de reprogramação orçamentária, o governo também baixou de 3,8% para 2,5% a previsão para o crescimento do PIB que consta no orçamento federal para este ano. Apesar da queda, a expectativa de expansão da economia do governo ainda está acima do que prevê o mercado financeiro para 2014: 1,79% de alta.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade