Alagoas, 14 de novembro de 2019 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Política

Campos diz que cortará secretarias

Governador participou nesta segunda de gravação do Programa do Jô. Ele também pregou 'resgate da credibilidade' da economia

Do G1 São Paulo

12/11/2013 07h07

Campos diz que cortará secretarias

O governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) disse na tarde desta segunda-feira (11) ao Programa do Jô,da TV Globo, que considera "muito" o número atual de 27 secretários estaduais e anunciou uma redução no número de pastas.

"Nós vamos estar reduzindo", afirmou durante a entrevista, que vai ao ar na madrugada desta segunda para terça. Mais tarde, aos jornalistas que acompanharam a gravação, disse que o assunto está sendo discutido.

"Nós fizemos um projeto de lei que cortou os cargos comissionados e até 20 de novembro devemos fazer um ajuste", afirmou o governador, possível candidato a presidente da República pelo PSB.

Uma das principais críticas da oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff é o número de ministérios (39). No último dia 6, em entrevista ao grupo RBS, a presidente contestou as críticas.

Campos disse não considera estranho cortar secretarias a um ano das eleições. "Quando a gente chegou a gente teve de estruturar o estado dentro de uma determinada visão", afirmou.

Ele ressaltou preocupação com a inflação e o "resgate da credibilidade" dos fundamentos macroeconômicos. "Não está tudo feito, como alguns dizem, de que está tudo bem, nem está tudo uma desgraça. Estamos em uma encruzilhada. Ou a gente vai pensar a próxima década e cuidar do que construímos nos últimos anos ou a gente vai assistir muitos dos que foram incluídos descerem as poucas escadas que subiram."

O pré-candidato também pregou a necessidade de reforma política e do Judiciário.  "Acho que a gente precisa rever algumas coisas do Judiciário no Brasil. Acho que a gente precisa discutir se é o caso de, no século 21, termos ministros vitalícios. Acho que podemos ter mandatos. O juiz precisa de estabilidade para cumprir seu papel, mas não necessariamente juiz vitalício. Não podemos ficar com o Código Penal quando envolve corrupção com os mesmos trâmites de quando é uma questão que não envolve dinheiro público", afirmou.

Aliado de Marina Silva – que ingressou no PSB depois que a Justiça Eleitoral negou registro à Rede, partido que fundou –, Campos afirmou que a discussão sobre quem será o candidato a presidente pelo partido deverá ocorrer apenas em 2014. "Nossa decisão é que vamos estar juntos", afirmou. 

No início da entrevista, diante da insistência do governador em olhar para as câmeras, Jô Soares pediu que ele não se preocupasse, o que arrancou risos da platéia. "Olhe para mim porque senão parecem dois cegos conversando", observou. Após a entrevista, Campos teve uma reunião com empresários do agronegócio em um hotel em São Paulo.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade