Alagoas, 17 de outubro de 2019 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
Política

Renan critica Garotinho: “Não consegue crescer nunca”

Presidente do Congresso critica seu colega Henrique Eduardo Alves por ter permitido que a Polícia Legislativa da Câmara apurasse denúncia de fraude em votação feita pelo líder do PR. Senador reafirma legalidade na sessão que derrubou vetos de Dilma à nova

Congresso em Foco

17/09/2013 09h09

Renan critica Garotinho: “Não consegue crescer nunca”

O presidente do Congresso e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou na noite desta segunda-feira (16) o seu colega da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e o líder do PR, Anthony Garotinho (RJ). A origem foi a revelação feita na sexta-feira (13) mostrando que a Polícia Legislativa confirmou uma fraude na sessão que resultou na derrubada dos vetos parciais ao veto dos royalties. 

“Eu queria lamentar, portanto, esse episódio, pedir desculpas ao Congresso Nacional e queria dizer que o problema é o problema de sempre: o tempo passa mas o deputado Garotinho ele não consegue crescer nunca”, disse Renan no fim da sessão desta segunda-feira. A declaração, feita da tribuna do Senado, não poupou o líder do PR e nem o presidente da Câmara, Henrique Alves.

A Polícia Legislativa da Câmara atestou que houve fraude na assinatura do deputado Zoinho (PR-RJ), que, apesar de constar da relação dos votantes, estava em viagem no momento da votação. A investigação foi motivida por um boletim de ocorrência feito por Garotinho. Para Renan, o órgão “não tinha nada a ver, absolutamente nada a ver com a sessão do Congresso Nacional”. “Para que todos tenham uma idéia, o presidente da Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves, ele não é sequer membro da Mesa do Congresso Nacional” afirmou.

Para o presidente do Senado, Henrique Alves, “incompreensivelmente”, aceitou a representação para a Polícia Legislativa investigar. Porém, Garotinho fez uma questão de ordem durante a sessão do Congresso em 6 de março e depois o boletim na Polícia Legislativa. “E queria mais uma vez lamentar o episódio, porque a Mesa da Câmara, repito, o presidente da Câmara, ele não tem nada a ver com a sessão do Congresso Nacional”, disse.

Na sexta-feira, em nota, Renan já havia criticado a investigação feita pela Polícia Legislativa. Disse que o órgão falhou em identificar quem tinha interesse na falsificação. E garantiu a validade da sessão. No discurso desta noite, ele reafirmou o resultado. “Ainda que toda a urna fosse anulada, toda a urna onde esse deputado teria ou não votado, toda a urna, se fosse anulada, ela não alteraria o resultado da votação do Congresso Nacional que apurou”, afirmou.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade