Alagoas, 07 de agosto de 2020 23º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
RANDONAUTICA

Aplicativo leva usuários a seguirem destinos perigosos

Febre entre os jovens e que causa agitação na internet promete jornada de aventuras

Arthur Fontes - Estagiário sob supervisão

12/07/2020 15h03 - Atualizado em 12/07/2020 15h03

Usuários são levados para lugares estranhos
DivulgaçãoUsuários são levados para lugares estranhos

Em meio a pandemia do novo coronavírus jovens curiosos e inquietos de todas as partes do mundo descobriram um aplicativo chamado Randonautica que entrega coordenadas aleatórias para os usuários prometendo uma jornada de aventura. Os usuários são levados para lugares estranhos e não encontram surpresas muito agradáveis ao chegar no destino.

A febre começou nos Estados Unidos e se espalhou rapidamente pelo mundo inteiro. O caso que chamou mais atenção foi de um grupo de adolescentes que encontrou restos humanos em uma praia de Seattle enquanto se divertiam utilizando o aplicativo, transmitindo o passeio pela rede social TikTok. O vídeo somou milhões de visualizações em apenas dois dias e a internet foi tomada por relatos de outras experiências bizarras relacionadas ao aplicativo.

Na ocasião, os adolescentes estavam andando pelas pedras quando avistaram uma mala preta jogada. Dentro da mala havia um saco plástico com pedaços de um corpo humano. O caso aconteceu no dia 20 de junho. Os jovens afirmaram no vídeo gravado que chamaram a polícia assim que identificaram o conteúdo do saco.

Cuidados que devem ser tomados

De início, logo ao logar no aplicativo é pedido para que o usuário permita usar a sua localização atual através do Google Maps para que as coordenadas possam ser emitidas. Com isso os dados pessoais dos usuários são expostos e podem correr o risco de acontecer um ataque de hackers.

Além disso as pessoas colocam a localização onde moram, aumentando ainda mais as chances de estranhos terem acesso à residência dos usuários. Outro problema é que os locais onde o app manda os aventureiros explorarem são lugares desconhecidos, portanto existe a probabilidade de se perder ou se machucar.

Vale lembrar que invadir propriedade privada é crime. De acordo com o Art. 150 do Código Penal, “Entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências: Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) meses, ou multa. Se o crime é cometido durante a noite, ou em lugar ermo, ou com o emprego de violência ou de arma, ou por duas ou mais pessoas: Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, além da pena correspondente à violência.

Há de se destacar, ainda, que o mundo ainda está vivenciando uma pandemia e há o risco de as pessoas contraírem o vírus e espalhar para familiares ou amigos.

Relatos

“Eu só fui em uma localização. Era uma área uns 4 quilômetros da minha casa. Quando cheguei próximo vi que era uma rua sem saída, e a localização era no meio do mato, atrás das casas. Não tive receio de algo paranormal, ou coisa do tipo, mas tive desconfiança de andar em propriedade privada, ou até mesmo de encontrar com bandidos ou bichos peçonhentos, pois a área era de mata bem fechada’’, contou Diogo Soares, natural de Lagoa Santa-MG, 31 anos.

Ele disse ainda que baixou o aplicativo devido a curiosidade de saber como funcionavam as localizações e o que nelas eram possíveis de encontrar, mistérios, coisas paranormais e estranhas. ‘’Embora eu seja bem cético, fico muito curioso com esses assuntos’’, completou.

‘’ Foi uma experiência diferente, não imaginei que a localização fosse bater em locais estranhos, fiquei com receio de ser aplicativo planejado por algum serial killer. Até agora o aplicativo só te leva a lugares incomuns, apenas locais abandonados. Das vezes em que utilizei fui parar em um armazém abandonado, dois terrenos vazios e último em um matagal, não relatei algo paranormal, mas que o app é estranho é’’, relatou Ronnivan Silva, 25, Várzea Grande-MT.

Ronnivan falou que baixou o aplicativo depois de um amigo próximo falar sobre ele e do que viu na rede social Tik Tok, e isso despertou sua curiosidade.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade