Alagoas, 30 de setembro de 2020 24º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
PROPOSTA

Claro, TIM e Vivo fecham acordo de exclusividade para comprar Oi

TecMundo

10/08/2020 16h04

Caso a transição seja realizada, a TIM vai pagar entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões para levar a maior parte da Oi Móvel
Barbara Eckstein/FlickrCaso a transição seja realizada, a TIM vai pagar entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões para levar a maior parte da Oi Móvel

As operadoras Claro, TIM e Vivo fecharam um acordo de exclusividade com a UPI Ativos Móveis para comprar Oi Móvel, informou a CVM nesta sexta-feira, 7. A nova proposta de R$ 16,5 bilhões superou a oferta anteriormente firmada com a concorrente Highline, que foi descartada da negociação.

A proposta das operadoras é válida até 11 de agosto de 2020 e será renovada automaticamente, salvo em caso de manifestação de alguma das partes. Por se tratar de uma oferta vinculante, as empresas têm o direito garantido de cobrir outras propostas, assumindo uma condição conhecida como "stalking horse".

TIM comprará maior fatia da Oi Móvel

Caso a transição seja realizada, a TIM vai pagar entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões para levar a maior parte da Oi Móvel. Isso porque as operadoras pretendem distribuir os clientes proporcionalmente entre cada DDD e a TIM possui uma participação geral menor do que as demais empresas.

No entanto, em São Paulo (DDD 11), a Claro poderá assumir as linhas da Oi, já que ocupa o 3° lugar no market share com apenas 23% dos chips. A Vivo, por sua vez, iria assumir os clientes da operadora no Rio de Janeiro (DDD 21).

Para evitar que a transação seja reprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o espectro da Oi Móvel será divido entre todas as companhias sem ultrapassar o limite máximo da Anatel (172,5 MHz nas faixas 1 GHz a 3 Ghz, que pode chegar até 230 MHz com autorização). Dependendo do estado, a Oi acumula entre 80 MHz a 95 MHz.

Compra da Oi Móvel em 2021

A venda da operadora só deve ser concluída em 2021, já que o Cade possui um prazo de até 330 dias para aprovar ou não a transação. Segundo a Telecom Itália, dona da TIM Brasil, as negociações finais vão acontecer somente no último trimestre do próximo ano.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade