Alagoas, 11 de maio de 2021 24º min 26º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CORONAVÍRUS

Nova fase de vacinação inclui pessoas de 59 anos com comorbidades

Isabela Melissa - Estagiária sob supervisão

16/04/2021 19h07 - Atualizado em 17/04/2021 09h09

Imunização de pessoas com comorbidades começa neste domingo em Maceió
Itawi Albuquerque/Secom MaceióImunização de pessoas com comorbidades começa neste domingo em Maceió

O novo calendário de vacinação contra a covid-19 prevê que a partir deste sábado (17) comecem a ser vacinados os trabalhadores de saúde com 34 anos ou mais e as pessoas com Síndrome de Down na faixa etária de 18 a 59 anos. No domingo (18), inicia a imunização de pessoas com comorbidades definidas como prioritárias no Plano Estadual de Operacionalização que estejam na faixa etária de 59 anos ou mais.

Nesta nova etapa, serão vacinadas as pessoas na faixa etária de 59 anos e que apresentem as seguintes comorbidades: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial em diferentes condições, doenças cardiovasculares, doenças cerebrovasculares, doença renal crônica, imunossuprimidos, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática.

“Serão 18.500 alagoanos que serão imunizados nesta faixa etária dos 59 anos, que foram previamente determinados pelo Ministério da Saúde (MS). O quantitativo de doses recebidas foi dividido e Alagoas vai vacinar, também, a população quilombola, continuar vacinando profissionais de saúde e, claro, os pacientes com comorbidades, desde que ele esteja com 59 anos”, explica o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres.

As vacinas destinadas ao público de 59 anos com comorbidades serão da AstraZeneca. Ou seja, após tomar a primeira dose, a segunda dose do imunizante será aplicada no período de três meses. Quanto à remessa do imunizante CoronaVac, esta ficará retida no Programa Nacional de Imunizações em Alagoas (PNI-AL) para segunda dose.

Documentação

Em nota técnica elaborada pela Sesau e pelo Cosems/AL estão descritos os documentos necessários que a população deverá apresentar para comprovar a comorbidade na hora da vacinação. 

O portador de comorbidade Assim, para efeitos de comprovação, serão considerados quaisquer dos seguintes documentos:
 Prescrição médica para a vacina contendo a condição que justifica a imunização;
 Exames específicos que estabelecem o diagnóstico;
 Relatório médico;
 Receitas para terapêutica específica de condições descritas;
 Cadastros em sistemas específicos do Sistema Único de Saúde

Com relação às pessoas portadoras de doenças reumáticas imunomediadas, pacientes oncológicos, transplantados e demais pacientes imunossuprimidos, será compulsória (obrigatória) a apresentação de prescrição médica, já que a eficácia e segurança das vacinas para Covid-19 não foram avaliadas nestas populações. A avaliação prévia realizada pelo médico assistente/especialista é obrigatória para que haja a segurança no processo da vacinação.

A nota técnica também orienta a equipe de vacinação a avaliar as documentações e reter a cópia do documento, tanto na aplicação da primeira dose, como na segunda dose. É importante salientar que, para tomar a segunda dose, o portador de comorbidade deve procurar o mesmo local que tomou a primeira.

A Sesau e o Cosems/AL reforçam que é responsabilidade da gestão municipal organizar e implantar estratégias para facilitar o acesso à vacinação da população com comorbidade. A nota ainda ressalta que os municípios devem seguir as orientações que constam nas notas informativas emitidas pela Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa) da Sesau.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade