Alagoas, 25 de novembro de 2020 24º min 28º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
CORONAVÍRUS

Depois das comemorações com políticos, Alagoas adere ao isolamento social

Medida sanitária é seguida por quase 40% da população no feriado de sexta-feira

Redação

21/11/2020 17h05 - Atualizado em 21/11/2020 17h05

Isolamento social ganha adesão de quase 40% da população de Alagoas
Agência BrasilIsolamento social ganha adesão de quase 40% da população de Alagoas

Depois da aglomeração verificada em Maceió e no interior do estado em várias comemorações de candidatos eleitos no 1º turno de votação, os alagoanos decidiram seguir o isolamento social. Nesta sexta-feira, dia 20, parte da população seguiu a medida sanitária, que registrou 39,2% de adesão, deixando Alagoas entre os dez estados com maior taxa de isolamento no País. 

As informações estão no Mapa da Covid-19 elaborado pela empresa de tecnologia e informação In Loco. Mesmo assim, o percentual está abaixo do recomendado nos protocolos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar o avanço da Covid-19.

Estão entre os estados com maiores taxas de isolamento, além de Alagoas, Ceará (39,4%), Bahia: 37,9%, Paraíba: 37,8%, Piauí: 37,7%, Maranhão: 37,5%, Pernambuco: 36,7%, Sergipe: 36,5%. No Nordeste o Rio Grande do Norte registrou a taxa mais baixa: 36,3%.

O acompanhamento da In Loco utiliza a localização de dispositivos móveis, como aparelhos celulares, para projetar a taxa de distanciamento. A empresa estuda o comportamento de localização de 60 milhões de usuários no Brasil.

O Brasil não atinge a taxa recomendada de 50% de isolamento desde 24 de maio, quando 53,8% da população esteve em casa. Nesta sexta, a base de dados informa que apenas 38% dos brasileiros adotaram o distanciamento.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade