Alagoas, 24 de novembro de 2020 24º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
PANDEMIA

Estado não vai obrigar alagoanos a tomar vacina contra covid-19

Bruno Fernandes

21/10/2020 15h03 - Atualizado em 21/10/2020 16h04

Vacinação em massa é cogitada para janeiro de 2020
R7Vacinação em massa é cogitada para janeiro de 2020

Ao contrário do que decidiu o governador de São Paulo, João Doria sobre a obrigatoriedade da população em tomar a vacina contra o coronavírus, causador da covid-19, o governador Renan Filho (MDB) afirmou que não vai obrigar ninguém a tomar, vai apenas "recomendar".

A declaração foi dada durante entrevista coletiva on-line para apresentar a análise da semana epidemiológica, relacionada aos números da covid-19 em Alagoas. A avaliação realizada de forma mensal norteia as próximas ações com base na Matriz de Riscos.

"A gente tem que sair um pouco de ideologia e de outros caminhos para ir ao pragmatismo. Se o cidadão não quiser tomar é uma decisão dele. O estado deve recomendar e não obrigar", explicou o governador ao afirmar que se possível, mesmo já tendo sido infectado pelo coronavírus, será o primeiro alagoano a ser vacinado.

Sobre a possibilidade de compra de doses da CoronaVac, a vacina produzida pela China, apontada pelo governo Bolsonaro como uma das causadoras da pandemia do novo coronavírus, o governador afirmou que vacina não deve ter nacionalidade.

"O estado não vai comprar vacina nesse momento, a compra é tarefa para o país seja de qual nacionalidade for. Se o Brasil tiver vacina seja de qual nacionalidade for, tem que comprar", explicou, afirmando não se importar com a nacionalidade. "A gente nunca pergunta o país de origem do medicamento que a gente compra. O que importa é que o remédio funciona e se funcionar vamos usar para evitar um número maior de mortes". Confira a coletiva na integra:

Obrigatoriedade em São Paulo

No dia 16 deste mês, o governador de São Paulo, João Doria afirmou que a vacina contra a covid-19 será obrigatória em todo o estado paulista, caso ela seja aprovada nos testes e tenha o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo Doria, apenas pessoas com atestado médico poderão ser liberadas de receber o imunizante.

“Em São Paulo a vacinação será obrigatória, exceto para quem tenha orientação médica e atestado médico de que não pode tomar a vacina. E adotaremos medidas legais se houver contrariedade nesse sentido", disse Doria, em entrevista coletiva em São Paulo.

O governador revelou que os testes com a vacina chinesa CoronaVac devem ser finalizados neste final de semana e os resultados desses testes deverão ser anunciados em breve. Doria também disse que os resultados desses testes serão encaminhados para a Anvisa.

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade