Alagoas, 12 de julho de 2020 23º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
fase laranja

Abertura de igrejas, salões de beleza e lojas será permitida na sexta-feira

José Fernando Martins

30/06/2020 18h06

Comércio no Centro de Maceió
DivulgaçãoComércio no Centro de Maceió

É a partir de sexta-feira, 3, que salões de beleza, barbearias, comércios de rua com até 400 m², templos, igrejas e demais instituições religiosas vão poder abrir as portas em Maceió. 

Isso por causa de decreto municipal que prolonga a fase vermelha na capital até o dia 2º de julho. E o funcionamento terá restrições: os estabelecimentos devem funcionar com apenas 30% da capacidade.

É o que determina o novo decreto, desta vez do governo do estado, contra a covid-19, que entra em vigor amanhã, 1º. Vale ressaltar que no interior do estado, as medidas da quarentena foram mantidas sem alterações.

O plano de relaxamento, em Maceió, só foi permitido devido a diminuição de casos e mortes. Nas últimas 24 horas, por exemplo, das 20 mortes registradas nesta terça-feira, em Alagoas, seis vítimas moravam na capital.

Conforme o governador Renan Filho, durante coletiva na tarde desta terça-feira, 30, agora o foco é a diminuição dos casos e mortes no interior do estado. 

Quanto um possível aumento de mortes na capital, Filho não descartou uma barreira sanitária de fiscalização de pessoas que vem de outros municípios para Maceió. 

"A gente tem mantido isolamento do transporte da capital para interior e isso tem ajudado a não levar o vírus. O inverso pode ocorrer, mas não são somente as barreiras sanitárias que podem deter a contaminação". 

O planejamento para abertura do setor produtivo na capital é dividido em cinco fases. São a vermelha (fase atual), laranja, amarela, azul e verde. 

Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade