Alagoas, 29 de maio de 2020 25º min 27º máx
WhatsApp (82) 9.9982-0322
COVID-19

Estudo da Ufal diz que 900 mil pessoas serão infectadas em Maceió

Bruno Fernandes

02/04/2020 14h02 - Atualizado em 02/04/2020 20h08

Coronavírus lota hospitais pelo mundo
DivulgaçãoCoronavírus lota hospitais pelo mundo

Quase toda população maceioense deverá ser infectada pelo novo Coronavírus, caso não adote medidas de isolamento social a longo prazo, segundo estudo (pode ser baixado ao final do texto) elaborado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) divulgado nesta quarta-feira, 1º.

O número de infectados, segundo o estudo, vai depender da supressão de fluxo da população a ser estabelecida pelas autoridades competentes e se essas supressões serão intercaladas ou feitas de uma só vez.

Maceió, que possui 1.021.698 habitantes, pode ter até 875 mil infectados num período de 400 dias com isolamento social proposto por decreto estadual. Sem isolamento, o número pode chegar a mais de 980 mil.

Comparação elaborada por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas

O estudo, no entanto, esclarece que infectados não significam doentes, mas pessoas que transmitem a doença. A partir dos infectados, pode-se estimar hospitalizados em leitos normais e UTI, incluindo mortos.

Vale ressaltar que em primeira análise, estima-se, com base nos dados coletados até o momento, que 4% da população infectada precisará de leitos hospitalares e que um pouco mais de 1% precisará de UCI (UTI com respiradores). Destes, 50% estima-se que irão a óbito.

Para elaboração do estudo foram levadas em consideração modelos epidemiológicos clássicos de isolamento social levando em conta contato social e taxas de infecção e recuperação da doença, adaptados à realidade de Alagoas, mobilidade urbana intermunicipal, estrutura de bairros de maceió e distribuição por faixa etária.

Além desses dados também foi simulado modelos levando em conta a mobilidade das pessoas entre municípios.

"Estamos melhorando o modelo para contemplar a estrutura de bairros de Maceió. Os resultados de nossas simulações são compatíveis com os trabalhos de outros grupos do país que temos contato e, infelizmente, apontam para um desafio gigantesco nos próximos meses", diz um trecho do estudo.

Pesquisadores

O estudo foi realizado pelos pesquisadores: Prof. Dr. Adriano Barbosa - FACET/UFGD; Prof. Dr. Bruno Pimentel - IC/UFAL; Prof. Dr. Fernanda Matias - IF/UFAL; Prof. Dr. Francisco Moura - IF/UFAL; Prof. Dr. Krerley Oliveira - IM/UFAL; Prof.Dr. Marcelo Lyra – IF/UFAL; Prof. Dr. Rodrigo; Prof. Dr. Rafael Nóbrega - IM/UFAL; Prof. Dr. Sérgio Lira IF/UFAL; Prof. Dr. Thales Vieira - IC/UFAL; Profa. Dra. Xu Yang (IC/UFAL); Prof. Dr. Yuri Saporitto - FGV/RIO; e Jéssika Rocha - LED/UFAL. O relatório teve a colaboração do Prof. Dr. José Garcia Vivas (DF/UFBA).

Todos são integrantes do Grupo de Modelagem de Simulação do Covid-19 em Alagoas do Instituto de Computação, Física e Matemática da Ufal. 

Arquivos
Estudo Dashboard Covid-19 Alagoas Número 1.pdf


Comentários
Curta o EXTRA no Facebook
Confira o nosso canal no YouTube
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Instagram Seguir </html>
Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.

A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.

Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.

publicidade